Dúvidas sobre a suposta anulação da sentença de morte para Youcef Nada

Christian Solidarity Worldwide (CSW) diz que foram levantadas dúvidas sobre os relatórios e notícias de que a pena de morte a um pastor iraniano foi revogada.

A France Presse informou que o Supremo Tribunal do Irã decidiu anular a sentença de morte dada ao pastor Youcef Nadarkhani por apostasia, apesar de tal delito não estar presente no código penal do Irã.

A CSW disse que os cristãos no Irã estão questionando os relatórios. A organização afirmou que ainda não havia nenhuma confirmação por escrito sobre a decisão do tribunal em relação ao caso de Nadarkhani e que isso deveria ter sido passado ao seu advogado, Mohammad Ali Dadkhak.

Sentenças para apostasia são geralmente anuladas, se o acusado se arrepender. A CSW disse que, ao invés de simplesmente anular a sentença, o tribunal precisava ter adicionado uma pré-condição que obriga o pastor a negar sua fé.

A CSW disse que os juízes da Suprema Corte podem tem sofrido pressão política para não liberar Nadarkhani. Existem, também, relatos não confirmados de que houve uma divergência sobre o veredito entre os juízes que julgam o caso.

Uma fonte da igreja disse à CSW: “Esta não é uma boa notícia. Ela simplesmente dá mais tempo para reexaminarem o caso, mas no final a decisão sobre o que deverá ser feito será dos juízes.”

Diretor de advocacia da CSW, Andrew Johnston disse que estava “muito preocupado” com o processo judicial do caso Youcef Nadarkhani. Ele citou o Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos, que garante a liberdade de religião e a liberdade de mudar de religião ou crença.

“A comunidade internacional deve atuar com urgência para pressionar o Irã, para que ele mostre todo o devido processo e que Nadarkhani seja absolvido de uma acusação que não é, de fato, reconhecida pela lei civil muçulmana.”