Pastores são presos no norte do país

Autoridades de uma aldeia no norte do Laos ordenaram que todos os moradores cristãos da região parassem de participar das reuniões nas igrejas domésticas, após a detenção de quatro cristãos, em 10 de julho, disseram ativistas dos direitos humanos.

Também em 10 de julho, a polícia prendeu um cristão na província de Luang Prabang, ordenando-lhe que abandonasse sua fé ou teria de enfrentar a prisão, de acordo com um comunicado de um grupo de defesa dos direitos humanos no Laos.

Na província de Luang Namtha, o pastor Seong Aroun e outros três cristãos da igreja da vila Sounya, identificados como Souchiad, Naikwang e Kofa, estavam se reunindo para a realização de um culto na casa de Kofa, no domingo (10 de julho). Kofa estava pedindo conselho a eles para resolver o problema de seu carro, que teve um acidente e teria causado a morte de uma pessoa.

Após a reunião, as autoridades provinciais prenderam os quatro homens e os mantiveram presos. Em 13 de julho eles libertaram todos, mas o Pastor Aroun permanece na prisão até o momento.

Cristãos na vila Sounya enfrentam a oposição das autoridades desde que houve a conversão inicial de cerca de 400 moradores, em 2002. Desde então, a polícia realizou três ondas de detenções de líderes da igreja principal. Em 2009, dois caminhões de policiais e militares derrubaram o templo da igreja de Sounya e as autoridades proibiram que eles se reunissem.

Em 2010, os cristãos começaram a se encontrar ocasionalmente em pequenos grupos. Em janeiro, eles conseguiram se reunir em casas particulares para realizar o culto de domingo, segundo relatos. Isso após as limitações a eles serem removidas.