Cristãos são "caçados" em meio a crise alimentar

| 20/09/2011 - 00:00


A violenta perseguição contra os cristãos continua na Somália e um grupo que cuida e protege o direito dos cristãos acredita que os extremistas islâmicos são os principais culpados pelo crescente assédio que os cristãos têm sofrido.

O último incidente ocorreu na cidade de Hudur, onde Jonathan Racho, da Internacional Christian Racho (ICC), relata que os radicais islâmicos sequestraram um cristão e depois o decapitaram. Alguns dias depois do sequestro, acharam o corpo do sequestrado.

Racho acredita que os extremistas islâmicos do Al-Shabaab, que tem laços com a Al Qaeda, são responsáveis pelo assassinato. “Mas essa não é a primeira vez que os extremistas fizeram algo assim”, diz ele.

“Os membros do grupo radical islâmico al-Shabbab mostraram, de forma nítida, que têm intenções muito claras de abolir o cristianismo no país”, observa Racho. Juma Nuradin Kamil é o último mártir de Cristo no país, em que o grupo extremista tem absoluto controle.

“Eles foram à caça dos cristãos no país”, disseram com grande lamento algumas fontes da Somália. “E onde quer que eles encontrem os cristãos, irão persegui-los e atacá-los. Então, é muito difícil, para os cristãos, adorar livremente a Deus na Somália.”

Racho está convocando todos os cristãos de todo o mundo para que orem pelos seus irmãos que moram na Somália: para que continuem firmes em sua fé e possam sair vitoriosos, após todas essas situações difíceis.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE