O ministério Mulheres do Caminho completa 7 anos

| 11/06/2016 - 00:00


11-niver-mdc.jpg

O ministério Mulheres do Caminho existe desde 2009 no Brasil, mobilizando as cristãs brasileiras a orarem juntas pela igreja perseguida, em especial pelas mulheres que enfrentam perseguição por causa de sua fé e que estão espalhadas por dezenas de países do mundo. Além das orações, elas recebem outro tipo de ajuda, como treinamentos, aconselhamentos, aulas de higiene e beleza, cursos profissionalizantes de capacitação e sustento financeiro. Não são poucas vezes em que essas mulheres encontram grandes dificuldades ao ficarem sem seus maridos, seja por motivo de prisão ou morte. Algumas precisam assumir a liderança da igreja e então necessitam de apoio e direcionamento.

A iraniana Sarah é uma cristã perseguida que vem ao Brasil falar do que é ser cristã em um dos países mais hostis ao Evangelho. A visita acontece entre os dias 22 de junho e 11 de julho e Sarah também vai participar do 7º aniversário do Mulheres do Caminho. Ela recebeu um chamado de Deus ainda bem jovem. ""Deus começou a falar em meus pensamentos e em seguida uma mulher idosa veio e disse: ‘Sarah, Deus diz – Eu sou quem sou, sou teu Deus, te chamei e te escolhi, você é minha filha e tem uma missão’. Depois daquele dia, muitas coisas aconteceram e agora faço a obra em países ocidentais"", explica. Ela já foi tratada como criminosa por pregar o evangelho em seu país e chegou a ser presa. ""Os policiais disseram que trabalhávamos contra o governo e nos prenderam. Descobri que é na prisão que mais precisamos de Cristo e lá dentro eu tive paz e consolo. Depois dos interrogatórios eu ficava confinada por dias numa sala bem pequena, fria e suja, mas eu podia ouvir a voz de Deus ali. Posso dizer que passar por essa experiência foi uma oportunidade de experimentar Jesus Cristo em pessoa e buscar a face dele me fez ter certeza de que Deus é fiel"", reconhece.

Longe de casa e perto de Deus
""Nos dois primeiros anos foi muito difícil, mas eu fui chamada para ser uma guerreira. A vida é uma luta para mim e todos os dias tenho que aprender uma língua nova, ficar sozinha com meu passado e lembrar do que a minha família continua vivendo no Irã. Quanto mais solitária me sinto, mais eu busco a Deus, e quando ele se aproxima eu tenho forças para seguir em frente. Ele sempre responde às nossas orações e nos surpreende. Eu continuo orando por um avivamento no Irã, pelo derramamento do amor de Jesus nos corações dos muçulmanos, que é a única forma de alcança-los. Com amor, podemos resgatar muitas vidas, não só no Irã mas no mundo todo"", conclui.

Se você quer saber mais sobre o testemunho de Sarah, acompanhe o site da Portas Abertas e fique de olho na agenda. Ela estará no Rio de Janeiro e São Paulo.

Participe também do 7º aniversário do Mulheres do Caminho que vai acontecer no dia 25 de junho (sábado), às 19h, na Rua Montevidéu, 900, Rio de Janeiro, RJ.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE