O Natal para crianças perseguidas

Entenda a relação entre Natal e perseguição para crianças da Igreja Perseguida

Portas Abertas • 25 dez 2022


Rafif é uma menina cristã síria que perdeu o pai por causa da fé, mas mesmo assim se alegra em celebrar o nascimento de Jesus

Rafif é uma menina cristã síria que perdeu o pai por causa da fé, mas mesmo assim se alegra em celebrar o nascimento de Jesus

Ontem você conheceu algumas crianças que intercederam por seus países. Veja mais algumas delas agora.


ANNA, 10 ANOS, SHAM, 11 ANOS E AZIZ, 13 ANOS - SÍRIA

Anna, Sham e Aziz cresceram conhecendo apenas a guerra, que começou quando o mais velho deles, Aziz, tinha apenas um ano. Junto com a guerra na Síria também veio a perseguição. Apesar de tudo, o Natal é um dos destaques do ano deles.


Anna tem uma grande árvore de Natal em sua sala que chega até o teto. Sham não vê a hora de montar o presépio: “Eu coloco o bebê Jesus primeiro, depois acrescento os animais e, é claro, Maria e José”. Aziz agradece ainda mais a Deus no Natal:


“Todo Natal eu fico muito feliz sabendo que Jesus nasceu neste dia por mim, para me salvar.”


Mas as três crianças também estão muito conscientes do que está acontecendo ao redor delas. Se Anna pudesse enviar um cartão de Natal para seus perseguidores, ela escreveria: “Por quê? Por que vocês atiram nas pessoas?”. Sham também perguntaria aos perseguidores o porquê: “Deus nos ama e quer nos dar a luz dele, mas vocês querem destruí-la, por que querem isso? Deus pode iluminar suas vidas também se vocês deixarem”.


Os três acendem uma vela como uma oração pelo país. “A Síria precisa de Jesus porque ele pode fazer milagres com apenas um toque, e ele pode mudar a situação. Eu oro para que ele realmente toque a Síria para que possamos viver alegremente em nosso país”, diz Aziz. Anna acrescenta: “Que Deus abençoe a Síria com proteção e paz”.



Sham (acima), Anna (à esquerda) e Aziz (à direita)


JAYASHRI, 12 ANOS, E AMIGOS - ÍNDIA

Na Índia, Jayashri, de 12 anos, está decorando sua casa de bonecas com decorações natalinas. “Eu amo muito a época do Natal. Eu estou feliz porque meus pais compraram roupas novas para mim. Eu também recebi presentes de outras pessoas que me deixaram muito encantada”.


Junto com seus amigos, Jayashri acende uma vela e ora por seu país. Eles fazem cartazes para mostrar suas orações e desejos: “Feliz Natal”, um disse. “Jesus é a luz do mundo”, disse outro. E, o mais importante, Jayashri e seus amigos nos pedem para nos unirmos a eles em oração pelo país:


“Ore por nossa nação, Índia!”



Jayashri (na foto central) e amigos com seus cartazes e velas


KAAREN, 13 ANOS - IRÃ

Kaaren é do Irã, mas quando ele tinha cinco anos, fugiu para a Turquia, país vizinho, com seus pais. Ele geralmente celebra o Natal com sua igreja lá. A vida como refugiado é difícil, mas Deus o ajuda, como ele testemunha: “Nos momentos difíceis, o único que nos ajudou foi Jesus, que nos fortalece para permanecermos. Ele ilumina o caminho escuro em que nós estamos”.


O Irã precisa da luz do Senhor. “O Irã tem muitos problemas, com certeza. Em minha opinião, o maior é esquecer de Deus, ou procurar por ele em lugares errados”, reflete Kaaren.

Kaaren, de 13 anos, do Irã


Quando Kaaren acende sua vela, ele pensa nas pessoas de sua terra natal e ora: “Eu oro para que eu e todas as pessoas do meu país tenham a sabedoria de Deus, e que a vontade dele seja feita em nossa vida”. Como um leitor assíduo da Bíblia, ele não hesita em também citar as Escrituras:


“Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra.” 2 Crônicas 7.14


IRENE E MARIAM, DE 11 ANOS - EGITO

Irene e Marian vivem no Cairo, capital do Egito, perto de uma grande igreja localizada em uma caverna meio aberta. “Mas nós não temos que nos preocupar com pés congelados no culto de Natal. No inverno, nós usamos o salão menor da igreja, que é dentro, então ela não fica tão gelada”, disse Irene.


No Egito, igrejas foram o alvo de ataques mortais por diversas vezes na última década. Em 2016, um homem bomba matou 25 pessoas durante um culto em uma igreja perto de onde Mariam e Irene vivem. Ainda assim, as duas nunca têm medo de ir à igreja: “Eu amo muito Jesus”, disse Mariam.


Eu não tenho medo de nada porque eu tenho certeza de que Jesus está sempre comigo, onde quer que eu vá. Ele está comigo na igreja também.”


Irene e Mariam, do Egito


MENSAGEM DE GRATIDÃO DO NEPAL

Por causa do seu apoio, as crianças da Igreja Perseguida terão mais uma vez um Natal abençoado. Neste ano, elas cresceram na fé e receberam uma nova perspectiva de futuro. Em nome de todas as crianças perseguidas que você apoiou, Chantin, do Nepal, que você conheceu ontem, tem uma mensagem para você.



Chantin, do Nepal, agradece àqueles que se importam com os cristãos perseguidos

Sobre nós

A Portas Abertas é uma organização cristã internacional e interdenominacional, fundada pelo Irmão André, em 1955. Hoje, atua em mais de 60 países apoiando cristãos perseguidos por causa da fé em Jesus.

Facebook
Instagram
YouTube

© 2024 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco