O que o cessar-fogo na Colômbia significa para os cristãos

| 30/06/2016 - 00:00



30 Colombia_2015_0280100867

Depois de 52 anos de conflito e quase 4 de negociações de paz, o governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) acordaram um cessar-fogo bilateral. Muitas dúvidas se criaram mundialmente sobre a implementação do acordo. Espera-se que o documento oficial seja assinado em julho, mas de qualquer forma, os dois lados afirmaram que a decisão não tem volta.

O conflito de meio século, considerado um dos mais longos do mundo, marcou gerações e deixou mais de 220 mil mortos. Os combates também obrigaram milhões de campesinos a se deslocar desde o início das hostilidades, em 1964. A Colômbia ocupa este ano a 46ª posição na Classificação da Perseguição Religiosa. Muitas são as notícias sobre violência e perseguição religiosa envolvendo grupos armados como as Farc na Colômbia. Como mostram as matérias Família cristã é ameaçada e agora vive escondida e Líderes religiosos negociam resgate de seus próprios filhos.

Os desafios da Igreja Perseguida continuam

A base da Portas Abertas na Colômbia se pronunciou sobre a importância do acordo para a igreja. Segundo eles, esse é um momento de colocar estratégias em ação para responder aos desafios que se apresentam. Muitos cristãos pagaram o preço de viver para Cristo no meio de uma guerra irregular que ultrapassou o número de 6 milhões de vítimas. Os filhos dos pastores assassinados, suas mulheres e muitos outros estão vivendo o pós-conflito e pedem que sejam ouvidos e que os mártires da igreja não sejam apagados da memória do país.

Na Colômbia, não há proteção do Estado a um religioso que é ameaçado por exercer sua fé, por isso o reconhecimento que há Igreja Perseguida é um dos desafios. A Portas Abertas não só tem trabalhado com o programa de atendimento pós-trauma e discipulado para ex-combatentes desde 2015, mas também com o escritório dos Direitos Humanos. Audiências em diferentes cidades colombianas a fim de levantar pontos de discussão sobre os direitos humanos e necessidades dos cristãos têm sido realizadas. O apoio da ONU e do Ministério do Interior do país para que a igreja seja tratada com igualdade no aspecto internacional humanitário, legal e prático também tem sido buscado.

Além disso, debates sobre a liberdade religiosa em territórios indígenas estão acontecendo. Líderes e pastores têm recebido treinamento em questões pós-traumas com base nas Escrituras e hoje são facilitadores de processos de reconciliação formais em suas regiões. Ainda é muito cedo para dizer que o acordo representa para os cristãos perseguidos, pois há muitas indecisões no processo. A Portas Abertas na Colômbia está trabalhando com o objetivo de responder às necessidades da Igreja Perseguida, se preocupando com sua restauração. É muito provável que a perseguição religiosa continue por outros grupos armados ilegais. O que os cristãos colombianos pedem é a sua oração para o processo resultar em bons frutos.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE