Os uygures precisam ouvir

Colaborados conta algumas da provações enfrentadas por nossos irmãos

| 25/04/2004 - 00:00

De origem muçulmana, cristãos são mais perseguidos na China

De origem muçulmana, cristãos são mais perseguidos na China


Um chinês da etnia Han, chamado Irmão Xi, sua esposa e dois filhos se estabeleceram como fazendeiros entre alguns fazendeiros uygures em Xinjiang. Essa família falava fluentemente o uygur e começou a compartilhar o evangelho com seus vizinhos, professores e colegas de classe distribuindo alguns livros de histórias bíblicas. Através da obra do Espírito Santo, muitos uygures se converteram.

Um cristão, entretanto, tinha um parente que era muçulmano. Ele começou a ficar desconfiado quando observou que os novos cristãos uygures se reuniam com freqüência para adorar a Deus. Ele quis saber se aqueles cristãos tinham outros objetivos e decidiu comunicar sua desconfiança à polícia local. Imediatamente, eles mandaram uma equipe para deter o grupo todo para interrogatório. Uma família uygur foi detida pela Agência de Segurança Pública por suposta ligação com a rede terrorista al-Qaeda.

O governo e as autoridades policiais ficaram tão preocupados com o comportamento desses novos cristãos que esperavam de fato encontrar alguma nova informação política ou terrorista. Mas, ao contrário, eles não acharam nada além da Bíblia e algumas fitas cristãs. Os cristãos uygures foram submetidos a espancamentos e torturas para forçá-los a contar como se tornaram cristãos, quem os ensinou, quem lhes deu literatura e quem os havia treinado. Através de métodos desumanos e cruéis, as autoridades conseguiram obter alguma informação que as levou até o irmão Xi.

Este irmão foi detido e preso. Ele foi impedido de dormir e foi interrogado durante três dias. Mas o Irmão Xi aproveitou seu tempo na prisão anunciando as Boas Novas e ganhou cinco guardas para o Senhor. Enquanto isso, foi dito aos membros de sua família que eles teriam de pagar cinco mil yuan para que o irmão Xi fosse libertado. Depois de coletar e entregar a quantia à polícia local, ele foi libertado.

Agora, a polícia vigia constantemente para ver se algum uygur está ligado ao grupo de cristãos uygures. Contudo, esses cristãos estão seguindo a Jesus e crescendo nEle. Deus os tem abençoado apesar deste episódio de perseguição. Em pouco tempo, o número deles cresceu para mais de cem. Recentemente, um desses irmãos uygures pediu-nos para que falássemos ao seu povo a respeito de Jesus em outras partes de Xinjiang. Neste exato momento, eles precisam de alguns livros e fitas para ajudá-los a crescer na fé. Por favor, ore conosco por esses novos cristãos. Deus o abençoe!


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE