Pablo encerra visita deixando lições de fé e perseverança

Mais de 4 mil pessoas foram impactadas com testemunho do poder de Deus na vida da Igreja Perseguida da Colômbia

| 06/02/2018 - 00:00

Um testemunho de fé e coragem para pregar a palavra de Deus (Foto representativa por razões de segurança)

Um testemunho de fé e coragem para pregar a palavra de Deus (Foto representativa por razões de segurança)


O pastor Pablo, em sua visita ao Brasil, compartilhou com os cristãos brasileiros seu testemunho e a realidade da Igreja Perseguida na Colômbia. Ele esteve no Brasil de 17 de janeiro a 5 de fevereiro e visitou as cidades de Brasília, Campinas e São Paulo. Em sua visita, o cristão perseguido passou por 19 igrejas, atingindo um público de mais de 4 mil pessoas.

Ele nos contou que desde sua infância, a realidade da guerrilha e narcotráfico era algo muito comum onde morava. Em meio a esse ambiente, foi através da visita de um missionário que aceitou a Jesus. Aos 16 anos, foi curado de epilepsia e continou servindo na igreja. Aos 21 anos se casou e, um ano depois, Deus o chamou para o ministério pastoral.

Pablo já está no ministério há 22 anos, juntamente com a esposa e os três filhos. No começo foi enviado a uma comunidade onde havia muita necessidade. Nos três primeiros anos pregavam a palavra com liberdade, até mesmo nos acampamentos dos grupos armados, e muitos se converteram. Guerrilheiros se convertiam e os jovens, ao invés de irem para os grupos armados, estavam indo para a igreja. No entanto, esse crescimento começou a incomodar os guerrilheiros, e foi aí que começou a perseguição.

Pablo perde um amigo – primeiro pastor é morto na região

Quatorze igrejas na região foram fechadas. A igreja não podia mais se reunir. Mas mesmo sem fazer cultos com todos os fiéis, continuaram pregando o evangelho e discipulando os novos irmãos. Quando descobriram isso, os grupos armados expulsaram seis pastores da região. Também começaram a enviar espias para ver o que os cristãos estavam fazendo. Mas a igreja continuou avançando. “Quando viram que não parávamos, começaram a nos ameaçar de morte. Mas não acreditávamos que eles iam nos matar, até que assassinaram o primeiro pastor”, compartilha Pablo.

A perda do amigo e companheiro de ministério foi algo muito difícil para ele. Pablo foi a primeira pessoa para quem a esposa do pastor assassinado ligou. Ele queria ir até a casa dela, mas ela disse para ele não ir, porque os guerrilheiros disseram que ele seria o próximo a ser executado. Mas os grupos armados se equivocaram, porque pensaram que quando matassem esse pastor, todos ficariam com medo. No entanto, a igreja se fortaleceu mais. “Entramos em tempo de clamor, com jejuns, vigílias e retiros, pedindo a Deus misericórdia. Foi um tempo de grande mover e muitas conversões”, relembra o pastor. (Essa história continua).

Pedidos de oração:

  • Ore pelo pastor Pablo e família. Que ele continue tendo um ministério frutífero e sendo guardado em segurança.
  • Peça para que Deus fortaleça a Igreja Perseguida na Colômbia e, em meio à perseguição, continue operando milagres e fazendo a igreja crescer.
  • Clame para que as guerrilhas sejam mais flexíveis em relação às reuniões e cultos da igreja. Os pastores estão na expectativa de que haja mais abertura.

Leia também:
Cristão colombiano dá testemunho de fé
Paz não é realidade para muitos cidadãos colombianos
Três líderes de abrigo indígena para cristãos são presos


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE