Portas Abertas conta com 560 voluntários no Brasil

Cristãos contam como foram chamados para servir a Igreja Perseguida

| 05/12/2019 - 06:00

No Brasil, a Portas Abertas tem 560 voluntários atuando pela Igreja Perseguida

No Brasil, a Portas Abertas tem 560 voluntários atuando pela Igreja Perseguida


Desde 1985, a Organização das Nações Unidas (ONU) escolheu a data de 5 de dezembro para ser o Dia Internacional do Voluntário. De acordo com a ONU, o voluntário é um jovem ou adulto que dedica parte de seu tempo em diversas atividades que têm como base interesse pessoal ou cívico. Desde a fundação da Portas Abertas, Deus vem juntando pessoas ao redor do mundo na missão de dar suporte à Igreja Perseguida. De acordo com o Relatório de Impacto 2019 da organização, o número de voluntários em todo o Brasil chegou a 560 pessoas em 2018. Cada um pode servir de acordo com o dom que possui, alguns são correspondentes, outros organizadores de grupos de oração, tradutores, assistentes em serviços de escritório e apoio em diferentes eventos.

Uma das voluntárias é Helandia Feitosa Milon de Manaus/AM. Gradativamente, ela foi obtendo mais informações sobre o trabalho da Portas Abertas e sempre era tocada por Deus. “A necessidade em conhecer o ministério crescia cada vez mais, até que acessei o site da Portas Abertas e me uni em amor pelos cristãos perseguidos. Fui direcionada pelo Espírito Santo a conhecer o ministério Mulheres Do Caminho”, conta. O próximo passo da cristã foi assinar a revista mensal e depois trabalhar na organização do Fim de Semana da Igreja Perseguida, na cidade onde mora. Naquela época, ela foi convidada a ser uma líder de um grupo de oração de mulheres, e após um treinamento na base em São Paulo, integrou o time de voluntariado. Hoje é correspondente do Amazonas.

Outro cristão que veste a camisa da Portas Abertas é Rodrigo César Frigo, de Londrina/PR. Ao participar do Acampamento Underground 2018 em Curitiba, ele foi impactado: “Ali eu percebi que gostaria de fazer parte da Missão Portas Abertas, devido à grandeza da importância desse trabalho”. Já Geraldo dos Santos, de Araruama/RJ, entendeu que o  serviço à Igreja Perseguida é uma resposta ao ide que Jesus deu aos discípulos. “Senti o chamado por entender ser de Deus esta obra. E se não o fizesse, estaria em desobediência. Isto aconteceu em novembro de 1996”, explica.

Após sentir o Senhor falar com ele, Paulo Martins Junior, de Praia Grande/SP entendeu que a caraterística de ser prestativo deveria  resultar no serviço aos mais necessitados. Por ser o tradutor e ter que viajar na companhia da cristã perseguida Damaris, em 2017, ele entendeu o que Deus queria. “Uma das primeiras necessidades era de alguém empurrar a cadeira de rodas dela. Quando encostei na cadeira, Deus falou ao meu coração sobre pessoas que precisam de uma força, de um empurrãozinho. Entendi que era uma metáfora para ajudar os cristãos perseguidos”, completa.

Entre para o time de voluntários da Portas Abertas

Disponibilize seu dom e talento em amor aos cristãos perseguidos. Para isso é necessário ter 18 anos, ser membro de uma igreja cristã e preencher o formulário. A partir desses passos você poderá conhecer as oportunidades existentes e ver onde se encaixa melhor.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE