Presidente do Sudão declara estado de emergência

Omar Al Bashir dissolve o governo, declara estado de emergência por um ano e nomeia novo primeiro-ministro

| 25/02/2019 - 00:00

Em janeiro, manifestantes correm de bomba de gás lacrimogêneo lançada pela polícia em Cartum (foto: Reuters)

Em janeiro, manifestantes correm de bomba de gás lacrimogêneo lançada pela polícia em Cartum (foto: Reuters)


Na última sexta-feira (22), em pronunciamento oficial, o presidente do Sudão, Omar Al Bashir, dissolveu o governo e anunciou estado de emergência por um ano. No dia seguinte, ele nomeou um novo primeiro-ministro e primeiro vice-presidente. Mais protestos eclodiram no sábado, quando a polícia supostamente atirou gás lacrimogêneo contra manifestantes que queimavam pneus e gritavam: "A revolução é a escolha do povo".

A decisão de Al Bashir ocorreu após dois meses de manifestações praticamente contínuas contra seu governo, que já dura mais de três décadas. O governador do estado de Gezira, Mohamed Tahir Ayala foi nomeado primeiro-ministro e o ministro da defesa, Awad Mohamed Ahmed Ibn Auf, primeiro vice-presidente. Al Bashir também substituiu governadores de estado por oficiais do exército.

Protestos contra o governo se prolongam desde dezembro

Os protestos tiveram início em 19 de dezembro de 2018, na cidade de Atbara, mas rapidamente se alastraram para o que é, provavelmente, a mais séria ameaça ao governo de 30 anos do presidente. Até o discurso de sexta-feira, o país estava preso entre um líder enfraquecido e um movimento de protesto que, embora não tenha diminuído depois de semanas, foi incapaz de dar um golpe na presidência de Al Bashir.

Logo após o anúncio de estado de emergência, a Associação Sudanesa de Profissionais, que está encabeçando a campanha contra o presidente, disse: “Estamos convocando nosso povo a continuar com as manifestações até o principal objetivo dessa rebelião, que é a queda do chefe do regime, ser alcançada”.

Fontes da Portas Abertas expressaram preocupação de que o estado de emergência faça com que as forças de segurança do governo aumentem a brutalidade contra civis. Ore pela proteção de Deus sobre a família cristã no Sudão. Clame para que o Senhor derrame sua graça nessa circunstância, levando paz e justiça para o povo do Sudão.

Leia também
Abusos de direitos humanos no Sudão
A perseguição aos cristãos do Sudão
Como vive um cristão sudanês?
Cristão sudanês será julgado por apostasia


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE