Quando Jesus se revela em sonho

Muitos não cristãos afirmam ter conhecido a Cristo a partir de sonhos ou revelações. Lina teve uma dessas experiências enquanto dormia

Na cidade em que Lina e suas duas filhas Rasha e Rahfa viveram durante a guerra na Síria, se conectaram a uma igreja doméstica. Além disso, também começaram a participar das atividades de um Centro de Esperança conhecido como “o clube”. “Ele oferece muitas atividades. Há amor entre as crianças que participam. A igreja ensina amor para as crianças. No clube, você vê as crianças conversando umas com as outras. Ninguém pergunta sobre seu passado e não há discriminação. Para mim, amor, afeição e paz são o mais importante”, conta Lina.

Segundo a cristã, na igreja ela se sente mais segura. Ela entra na igreja sem medo e não há o sentimento de que alguém a está encarando como se fosse inferior. Lina nunca entrou em uma mesquita e nunca nem gostou de passar perto, porque, segundo ela, todos começavam a olhar.

Há dois meses, ela teve um sonho: “Um dia, fui para cama triste e com medo. Quando fechei os olhos, tive um sonho. Eu me via dormindo quando, de repente, havia uma luz brilhante na sala. No sonho, eu abria os olhos e via uma pessoa ali. Então eu perguntei para ele: ‘Quem é você?’. Ele disse: ‘Não tenha medo, eu sou o Senhor. Eu estou com você’. Ele se aproximou de mim e desenhou o formato de uma cruz no meu pescoço, ombros e tórax. Foi quando abri meus olhos de verdade e olhei em volta do quarto, estava vazio e voltei a dormir. A mesma coisa aconteceu. No sonho, eu via a mesma luz e a mesma pessoa aparecendo. Eu perguntei mais uma vez: ‘Quem é você?’. Ele disse: ‘Eu sou o Senhor, não tenha medo’. Novamente ele desenhou uma cruz em mim. Depois disso, eu dormi em paz”. Esse sonho teve grande influência nos próximos passos da vida de Lina e suas filhas. Para Lina, se tornar cristã foi a melhor escolha de sua vida. No final, ela encontrou o que todos procuram, segurança em sua nova fé.

Casamentos de cristãos ex-muçulmanos
Em muitos países do Oriente Médio, cristãos são apenas reconhecidos como cristãos quando nascem em uma família cristã. Famílias cristãs tem sobrenomes “cristãos”, como muçulmanos tem sobrenomes muçulmanos. Lina e suas filhas têm um sobrenome “muçulmano” e, por isso, elas continuaram sendo vistas pela lei como muçulmanas, já que um muçulmano não pode mudar sua religião.

As garotas queriam continuar suas vidas como cristãs, mas não achariam um marido cristão com facilidade por causa disso. Um homem nascido cristão não tem permissão para casar com uma garota de sobrenome muçulmano. Ele teria que se converter ao islã antes de fazer isso. Então, as garotas só poderiam casar com homens também convertidos do islã para o cristianismo, já que esses cristãos também teriam um sobrenome muçulmano. “Há muitas pessoas como nós na Síria, mas elas não podem falar porque têm medo. Há muitos outros que seguem Jesus”, disse.