Renovo em meio à guerra

Por meio de Centros de Esperança, cristãos sírios recebem esperança para o futuro

A igreja local assumiu sua posição durante os dez anos de guerra na Síria. Ela permaneceu junto ao seu povo. Líderes e pastores tomaram a difícil decisão de ficar no país enquanto houver pessoas nas igrejas. A ajuda da Portas Abertas ao longo desses anos foi como um sinal de luz para muitos na Síria.

Quando, em 2011, a situação no país passou de protestos pacíficos para uma guerra civil, a Portas Abertas já possuía uma rede de igrejas parceiras no local. Anos antes da guerra, essas igrejas viram a necessidade dos refugiados vindos do Iraque e passaram a ajudá-los em suas necessidades básicas. De acordo com Mourad*, coordenador do nosso trabalho na Síria, o país era estável para cristãos.  

Porém, a guerra resultou em uma crise econômica. Mais de 85% dos sírios agora vivem na pobreza. Depois de todos esses anos de guerra, a falta de empregos e as sanções internacionais levaram o país a uma profunda depressão econômica. Recentemente, a Síria experimentou ainda um aumento nos preços de todos os produtos de consumo necessários, incluindo alimentos básicos, detergentes, roupas e combustível para manter as pessoas aquecidas no inverno.

Com o início da guerra, a Portas Abertas respondeu rápido aos pedidos de ajuda dos parceiros locais. O foco foi ajudar igrejas locais a se tornarem Centros de Esperança, permitindo que membros da igreja e a comunidade do entorno tivessem acesso a serviços, encorajamento e ajuda. Até agora já existem 40 desses centros.

Por meio dos centros, foram distribuídos alimentos, cobertores e roupas, arranjadas casas e pessoas foram levadas para lugares seguros. Além disso, houve intervenção por conta da necessidade de educação. Também haviam pessoas traumatizadas para serem cuidadas. Foram ajudadas viúvas, pessoas com deficiências e provido abrigo para desabrigados. Houve ainda a contribuição para cerca de 65 mil pedidos por remédios ou ajuda médica.

Além dos números apresentados, o impacto do trabalho realizado na Síria também pode ser notado por meio do testemunho de parceiros locais, que vivenciam a guerra síria diariamente. O pastor Edward, da Alliance Church em Damasco acrescentou: “Os anos de guerra me tornaram mais maduro e sensível à presença de Deus nos detalhes da vida. Eu aprendi que a verdadeira sabedoria é acreditar na autoridade de Deus e na certeza que, por trás das mais difíceis circunstâncias da vida, há grandes intenções divinas e que, em meio aos desafios, há grandes oportunidades que merecem ser aproveitadas”.

O pastor Abdalla, da mesma igreja em Alepo, compartilha: “Nós perdemos muitos devido à imigração, foi necessário preparar outros cooperadores para se tornarem líderes. Nós perdemos mais de metade das famílias da igreja. A mudança foi enorme. Com um trabalho árduo, hoje há um grande número de famílias que seguem a Cristo e estão comprometidas com a igreja. O ministério também cresceu com convertidos de contextos não cristãos”.

Graças à parceria com a Portas Abertas, os ministérios da igreja cresceram. “Com o Centro de Esperança, oferecemos projetos de ajuda emergencial e temos um centro médico. Isso resultou em uma influência positiva na comunidade e um grande impacto nas pessoas. Além disso, a igreja continua seu investimento espiritual em crianças, adolescentes, jovens adultos e famílias”, completou o pastor Abdalla.

A conclusão dos pastores é que o povo sírio precisa, mais do que nunca, de orações e auxílio econômico. Portanto, o apoio encorajador da igreja global foi de extrema relevância para a igreja síria. “Se sentir parte da igreja global é muito importante para nós. Seu apoio constante, deixando o mundo ciente da necessidade da igreja, e as orações de cristãos ao redor do mundo são muito importantes para nós. Nós sentimos que não estamos sozinhos ou esquecidos. Somos todos membros do mesmo corpo”, concluiu o pastor Edward.

Ajude cristãos sírios a sobreviverem

Você pode continuar oferecendo esperança a cristãos sírios que vivem em meio à guerra. Ajude na sobrevivência da igreja na Síria, frente às tentativas de extremistas islâmicos de a destruírem completamente. Leve esperança por meio de assistência médica e remédios a cristãos atendidos nos Centros de Esperança da Síria.