República Centro-Africana comemora o Dia da República

Os cristãos do país fundado há 63 anos enfrentam forte perseguição

Portas Abertas • 1 dez 2021


Cerca de 3,5 milhões de cristão enfrentam perseguição na República Centro-Africana

Cerca de 3,5 milhões de cristão enfrentam perseguição na República Centro-Africana

Localizada no centro da África e fazendo fronteira com países como Sudão, Chade, Congo e Camarões, a República Centro-Africana celebra hoje 63 anos de proclamação da República. O país foi uma colônia francesa chamada Ubangi-Shari mas obteve independência da França em 1960, dois anos após a fundação em 1958.

Apesar de enfrentar diversos conflitos há oito anos, com tensões e violências, os problemas da nação são pouco falados pelas mídias internacionais. A República Centro-Africana é um dos países menos desenvolvidos do mundo, com baixo índice de desenvolvimento resultante da instabilidade política e da posição geograficamente desfavorável, que não beneficia a agricultura. 

O país passa por uma série de abusos dos direitos humanos, já que boa parte é tomada por diversos grupos de milícias. Na República Centro-Africana, muitos grupos extremistas perseguem especificamente os cristãos. Nas regiões Leste e Norte do país, onde a população mulçumana é dominante, a perseguição é ainda mais severa. Os cristãos ex-mulçumanos enfrentam a perseguição da família, além da hostilidade da sociedade.

Em 2013, quando o grupo rebelde Seleka (união de milícias), tomou o poder em um golpe de estado, os cristãos passaram a ser alvos de violência extrema. A Organização das Nações Unidas fez uma intervenção após o golpe, mas a autoridade estatal não foi totalmente recuperada. Diante dessa realidade, há cerca de 3,5 milhões de cristãos que enfrentam perseguições pela fé em Jesus.


Tentativas de impedir o cristianismo


A comunidade local frequentemente rejeita os cristãos ex-muçulmanos e pode tentar forçá-los a renunciar ao cristianismo por meio da violência. Os cristãos que se convertem do islamismo são duplamente vulneráveis por causa da violência geral contra os cristãos, e severa pressão da família e da comunidade. 

As mulheres cristãs estão sujeitas a abuso sexual, sequestro e casamento forçado. Quando estão em período escolar, enfrentam o risco de violência sexual durante o trajeto de ida e volta para a escola. Algumas vezes, os pais são influenciados a entregar as filhas cristãs para casamento com homem mulçumano em troca de presentes significativos. Os homens também são alvos de agressão, sequestros e ameaças. Às vezes são recrutados à força por grupos de militância extrema.

Como a República Centro-Africana é o 35º país na Lista Mundial da Perseguição 2021, e por ser um dos países mais pobres da África, a necessidade financeira pode levar mulheres cristãs com muitos filhos a concordarem em se converter ao islamismo simplesmente para ter meios de sobrevivência.

Pedidos de oração

  • Interceda pela República Centro-Africana, para que Deus visite os governantes, dando sabedoria para liderar visando o bem-estar do povo.
  • Ore pelos cristãos do país, para que sejam fortalecidos na fé, mesmo diante das perseguições e tensões enfrentadas.
  • Clame para que os grupos extremistas sejam alcançados pelo amor de Cristo, tendo as vidas transformadas.

Sobre nós

A Portas Abertas é uma organização cristã internacional e interdenominacional, fundada pelo Irmão André, em 1955. Hoje, atua em mais de 60 países apoiando cristãos perseguidos por causa da fé em Jesus.

Facebook
Instagram
YouTube

© 2024 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco