Se Deus nos ama, por que sofremos?

Conheça um pouco de como são oferecidos os cuidados pós-trauma a vítimas de violência em Burkina Faso

| 30/05/2022 - 08:00

Vítimas de ataques em Burkina Faso recebem não apenas cuidados pós-trauma como ajuda emergencial para suprir suas necessidades

Vítimas de ataques em Burkina Faso recebem não apenas cuidados pós-trauma como ajuda emergencial para suprir suas necessidades


Tirham é uma colaboradora da Portas Abertas que atua no Oeste Africano oferecendo cuidados pós-trauma a cristãos vítimas de ataques. Quando questionada sobre quais assuntos são abordados durante os cuidados pós-trauma oferecidos aos nossos irmãos e irmãs ela explica que a primeira lição é: “Se Deus nos ama, por que sofremos?”.


Quando as pessoas passam por tempos difíceis, principalmente algum tipo de crise onde são mortas por causa da fé, elas geralmente fazem essa pergunta. “Nós tentamos ensiná-las que independentemente do que acontecer, devemos nos lembrar do caráter de Deus. O mundo criado por Deus era perfeito, mas o pecado entrou e isso mudou tudo. Então, se sofremos, não significa que Deus não nos ama, pelo contrário, por causa das escolhas que fazemos, ou mesmo das escolhas feitas por Adão e Eva em que desobedeceram a Deus, isso resultou em pecado, sofrimento e dor para o mundo. Essa primeira lição ajuda a estabilizar a fé em Deus.”


A segunda lição fala sobre o coração ferido. Os participantes são levados a completar a seguinte afirmação: “O que aconteceu me fez sentir...”. Depois disso, eles conseguem identificar os sintomas do coração ferido, do trauma. Eles descobrem que se comportar de determinada forma significa estar traumatizado. Na sequência, estão prontos para o luto. “Quando falo sobre o luto, conversamos sobre a forma certa de viver o luto, aquela que traz cura. Então conversamos sobre os três estágios do luto.”

Deus entende nossos sentimentos

Ao fazer isso, as pessoas conseguem identificar em que estágio estão na jornada de cura. “Quando elas identificam isso, são capazes de se lamentar com Deus. Outra coisa que ajuda é elas saberem que há pessoas que lamentaram na Bíblia. É explicado que no livro de Salmos há mais versos de lamentação do que de louvor e adoração a Deus. Isso os ajuda a entender que tudo bem, é possível dizer para Deus exatamente como se sente sem ser julgado ou condenado por Deus. Ele entende nossos sentimentos.”


Dependendo do grupo, o tema violência sexual também é abordado. Falar sobre esse assunto, que ainda é um tabu, realmente ajuda sobreviventes a entenderem que a violência sexual pode acontecer a qualquer um. Isso não significa que a pessoa violentada está possessa ou imunda, ou mesmo que não há mais esperança para ela. Por meio de conversas sobre o assunto, mulheres são ajudadas e encorajadas a viverem a vida de forma mais normal.


”Nós também falamos sobre perdão. É muito fácil se tornar uma pessoa amarga e odiar aqueles que lhe fizeram isso. Mas falamos sobre como o perdão é realmente benéfico para os sobreviventes. Se você é capaz de perdoar, isso significa viver uma vida mais pacífica.” Finalmente, eles falam sobre a cruz e é realizada uma cerimônia em que os participantes são encorajados a carregar suas dores até a cruz.


Cuidados pós-trauma em Burkina Faso

Os cristãos que vivem em países do Oeste Africano estão vulneráveis à ação de diversos grupos radicais islâmicos. Muitos são vítimas de ataques ou passam por situações traumáticas. Eles precisam de apoio para saber como lidar com isso. Com uma doação, você garante ajuda emergencial e cuidados pós-trauma, como o oferecido por Tirham, para cristãos deslocados em Burkina Faso.



Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE