Seis pessoas morrem em motim após vitória de Widodo

Protestos ocorreram na capital da Indonésia, Jacarta, já que Prabowo, rival do presidente reeleito, afirma fraude e irregularidades eleitorais

Ao menos seis pessoas foram mortas em violência pós-eleitoral em Jacarta, capital da Indonésia, após a reeleição do presidente Joko Widodo na última terça, dia 21. Widodo venceu com 55,5% dos votos. Enquanto voluntários da Portas Abertas no país disseram que estavam felizes com o resultado, também expressaram preocupação com a violência e com o que a oposição fará a seguir.

O rival de Widodo, Prabowo Subianto-Sandiaga Uno, recebeu 44,5% dos votos e disse que contestará o resultado diante da Corte Constitucional por causa da “fraude massiva e irregularidades” durante as eleições e contagem dos votos. No começo da semana, Prabowo alertou que a situação poderia gerar uma instabilidade civil. A polícia e o exército estão nas ruas.

Após confronto com cerca de 200 pessoas que atiravam pedras e queimavam carros, a polícia deteu 58 pessoas, mas disse que não houve vítimas. Muitos dos manifestantes vieram de fora de Jacarta e houve evidências de que foram contratados por terceiros, segundo o porta-voz da polícia, Muhammad Iqbal.

Alguns dos apoiadores de Prabowo foram presos com a proximidade do anúncio dos resultados da eleição “porque estavam tentando provocar populares a não aceitar o resultado e vir a Jacarta para protestar”, disse um colaborador da Portas Abertas, acrescentando que a polícia levou, mas depois retirou, uma intimação a Prabowo.

Esta foi a segunda vez que o antigo general enfrentou Widodo em uma corrida presidencial. Durante a campanha, ele teve o apoio de grupos extremistas islâmicos. De acordo com um relatório publicado em março pelo Instituto para Política de Análise de Conflito, vários grupos radicais islâmicos que em 2016-2017 organizaram protestos por todo o país durante o julgamento de blasfêmia de Ahok, o antigo governador cristão de Jacarta, se uniram à campanha para derrubar o presidente Widodo.

Pedidos de oração