Seis pessoas morrem em motim após vitória de Widodo

Protestos ocorreram na capital da Indonésia, Jacarta, já que Prabowo, rival do presidente reeleito, afirma fraude e irregularidades eleitorais

| 23/05/2019 - 06:00

Muitos dos manifestantes não eram da capital e há evidências de que foram pagos para participarem (foto: Getty Images)

Muitos dos manifestantes não eram da capital e há evidências de que foram pagos para participarem (foto: Getty Images)


Ao menos seis pessoas foram mortas em violência pós-eleitoral em Jacarta, capital da Indonésia, após a reeleição do presidente Joko Widodo na última terça, dia 21. Widodo venceu com 55,5% dos votos. Enquanto voluntários da Portas Abertas no país disseram que estavam felizes com o resultado, também expressaram preocupação com a violência e com o que a oposição fará a seguir.

O rival de Widodo, Prabowo Subianto-Sandiaga Uno, recebeu 44,5% dos votos e disse que contestará o resultado diante da Corte Constitucional por causa da “fraude massiva e irregularidades” durante as eleições e contagem dos votos. No começo da semana, Prabowo alertou que a situação poderia gerar uma instabilidade civil. A polícia e o exército estão nas ruas.

Após confronto com cerca de 200 pessoas que atiravam pedras e queimavam carros, a polícia deteu 58 pessoas, mas disse que não houve vítimas. Muitos dos manifestantes vieram de fora de Jacarta e houve evidências de que foram contratados por terceiros, segundo o porta-voz da polícia, Muhammad Iqbal.

Alguns dos apoiadores de Prabowo foram presos com a proximidade do anúncio dos resultados da eleição “porque estavam tentando provocar populares a não aceitar o resultado e vir a Jacarta para protestar”, disse um colaborador da Portas Abertas, acrescentando que a polícia levou, mas depois retirou, uma intimação a Prabowo.

Esta foi a segunda vez que o antigo general enfrentou Widodo em uma corrida presidencial. Durante a campanha, ele teve o apoio de grupos extremistas islâmicos. De acordo com um relatório publicado em março pelo Instituto para Política de Análise de Conflito, vários grupos radicais islâmicos que em 2016-2017 organizaram protestos por todo o país durante o julgamento de blasfêmia de Ahok, o antigo governador cristão de Jacarta, se uniram à campanha para derrubar o presidente Widodo.

Pedidos de oração

  • Ore em favor do novo governo, para que haja estabilidade no país.
  • Interceda pelos cristãos indonésios, para que vivam em segurança.
  • Peça para que a perseguição diminua neste novo mandato do presidente Widodo.

Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE