Irmão André comenta a queda do Muro de Berlim

| 03/06/2009 - 00:00


Setenta anos de expansão comunista foram encerrados quando moradores do leste de Berlim ultrapassaram os postos de controle entre a Alemanha Oriental e a Alemanha Ocidental em 9 de novembro de 2009. Nas semanas que se seguiram, cidadãos comuns demoliram grandes pedaços do Muro com suas próprias mãos e escavadoras da Alemanha Oriental abriram 10 novas passagens entre o leste e o oeste e restabeleceram antigas estradas.

O Irmão André, fundador da Open Doors estava lá nos primórdios e na extinção do Muro. Ele diz: “Eu fui um dos primeiros a atravessar o posto de controle Charlie após ter sido construído em 1961. Tive uma visão horrível quando fomos para o outro lado visitar os cristãos. Eles eram tratados muito mal e havia uma onda de suicídio no país que incluía cristãos e pastores evangélicos. Também estava lá quando o muro caiu. Fiquei muito feliz, mas não quis guardar nenhum pedaço dele porque não quero ter recordação daquele período negro da história.

Antes disso, o Irmão André visitou países no mundo comunista desde sua primeira viagem para a Polônia em 1955, quando observou milhares de comunistas cantando “Vamos conquistar o mundo com a revolução”. Então, ele retornou para a Holanda e profeticamente despertou a Igreja para o que estava acontecendo no mundo comunista e para apoiá-la, uma vez que estava sendo esmagada e perseguida.

O Irmão André se recorda daquela primeira viagem de trem, com sua maleta cheia de folhetos cristãos. “Lembro-me sempre daquela viagem porque eu era o único cristão rodeado de comunistas, a ponto de visitar um mundo do qual eu não sabia nada a respeito. Era apenas uma viagem antes que eu me tornasse de fato um missionário, um missionário respeitado, mas aquele dia nunca chegou! Eu abri os olhos deles em muitos aspectos. Encontramos igrejas e uma sociedade bíblica que eram desconhecidas para nós. Também descobri que existia uma enorme falta de Bíblias, mas havia muito entusiasmo. Foi lá que um pastor disse: ‘André, você estar aqui significa mais de 10 dos melhores sermões’. Eu sabia que não poderia pregar muito bem, mas podia estar lá!”

Provisão de Bíblias

“O diretor da Sociedade Bíblica contou-me histórias de contrabandistas profissionais que iam à sua loja, compravam dez Bíblias em russo e as contrabandeavam na fronteira da Rússia e ganhavam muito dinheiro. Algo despertou em mim. Pensei: ‘Se as pessoas, incrédulas,  fazem isso por amor ao dinheiro, se arriscando de tal forma, quanto mais nós, devemos ir e levar as Bíblias para os russos’. Foi aí que a primeira semente foi plantada.”

Presença

Johan Companjen era companhia constante do Irmão André naquele tempo. Ele conta: “Naquela época, os comunistas não toleravam os cristãos e todos tinham grande necessidade de Bíblias. Entretanto, eles também estavam desesperados por treinamentos e encorajamento. Nossa presença era tão importante para eles quanto as Bíblias que levávamos, porque as pessoas se sentiam abandonadas. Um pastor na Hungria disse: ‘Ninguém sabe onde estou, nem mesmo minha família. Obrigado por vir’. E então ele chorou. A polícia havia fechado sua igreja e o tinha deixado sob prisão domiciliar.”

“Muitas vezes ouvimos esses cristãos dizer: ‘Muito obrigado por terem vindo. O fato de estarem aqui mostra que se preocupam conosco.”

O PODER DA ORAÇÃO

Oração pela União Soviética
Em 1982, uma campanha de sete anos pela antiga União Soviética foi concluída juntamente com a queda do Muro de Berlim em 1989, e uma liberdade totalmente inesperada veio sobre a Europa Oriental e a União Soviética.

A Portas Abertas Internacional começou a entregar Bíblias “oficialmente”, incluindo um milhão de Novos Testamentos para líderes da Igreja Ortodoxa Russa no ano seguinte e, após três anos, 50 mil Bíblias para o presidente da Albânia.

Quando o livro do Irmão André, o Contrabandista de Deus, foi publicado em 1967, seu sucesso significou que ele não poderia mais voltar à Europa Oriental.  Nos últimos 40anos, ele tem servido a Igreja Cristã no mundo muçulmano.

Durante toda a década de 80, o Irmão André dizia profeticamente para a equipe da Portas Abertas: “Vocês pensam que o comunismo é difícil, espere até que os militantes islâmicos se levantem.”

Arrependa-se

“A Igreja ocidental deve aceitar o fato de que existe uma igreja sofredora e se arrepender da falta de conhecimento e compaixão. Não temos cuidado bem uns dos outros e, a menos que façamos isso, não haverá mudanças em nossa cultura que está piorando, declinando em espiritualidade moral e influência da Igreja. Nós até temos uma Constituição na Europa que sequer menciona nosso passado cristão.”

Analise

O Irmão André prossegue dizendo: “Assim como ajudamos cristãos que sofrem por sua fé, temos de compreender porque seus perseguidores se comportam de tal maneira”, diz ele. “Muitas vezes as pessoas não diferenciam os cristãos que conhecem e amam ao Senhor Jesus e trazem amor e paz, e as nações ocidentais que há muitos séculos roubaram e continuam roubando seus países em que fazem negócios. Não podemos condená-los. Podemos amá-los e fazer com que saibam que Jesus perdoa.”

Alcance

Em um novo desafio aos cristãos ocidentais, ele diz: ”A Igreja perdeu a arte de fazer amizade com pessoas comuns. Jesus andou com os rejeitados. Ele conversava com aqueles com quem ninguém queria falar. Ele amou o pobre e oprimido. Precisamos aprender como fazer isso e parar de esperar por um programa, uma missão ou um avivamento que traga pessoas a Deus. Jesus até foi chamado de amigo dos pecadores e publicanos. Sou apenas uma pessoa normal, filho de um ferreiro que sequer foi para a escola secundária. Se eu posso fazer, qualquer um pode.”

Receba

O Irmão André continua: “A Igreja Perseguida tem muito mais para nos ensinar do que jamais poderemos ensiná-los. Ver a forma como eles perseveram sob oposição, amam a Deus e perdoam seus perseguidores é algo que precisamos aprender muito mais em nossa sociedade.”

“Devemos aprender a orar por aqueles que se opõem a nós. Se não oramos por alguém, essa pessoa se torna um brinquedo para o diabo e seus demônios. Por isso devemos orar por Bin Laden, por exemplo. Centenas de Bíblias estão ao alcance do Talibã. Eu deixei caixas cheias de Bíblias nas mãos dos líderes do Talibã há pouco tempo. A Palavra terá influência e avançará com o Reino de Deus. Não devemos vê-los  inimigos, mas amá-los como Deus os ama e ver alguém por quem Cristo morreu. Essa é a minha motivação.”

Anime o remanescente

“O mais importante que podemos fazer para a Igreja Perseguida é orar. Orar enquanto enfrentamos esse terrível dilema que é o crescimento da perseguição, a diminuição da influência da Igreja ao redor do mundo, a fuga dos cristãos do Oriente Médio. Deus está construindo sua Igreja, mas você e eu precisamos ajudar. Temos de testemunhar. Temos de ser obedientes à Grande Comissão, suprir as necessidades, ir e perguntar o que podemos fazer por eles. E eles sempre dizem: ‘Por favor, ore por nós’. Se continuarmos perguntando, eles dirão para levarmos Bíblias e visitá-los. As visitas os encorajam a continuar lá. Até que isso aconteça, eles irão embora aos milhares.”

Esta é a missão da Portas Abertas: como um grito de agonia, um SOS de Deus, ‘fortaleça o que está para morrer’. Precisamos fazer isso! O problema é que as pessoas não gostam de ser acordadas; elas estão felizes dormindo! Os cristãos ocidentais falam muito sobre reavivamento, quando o que precisam fazer é acordar, ser como Jesus nesse mundo, amar nossos inimigos, ser amigos dos rejeitados, orar e fortalecer a Igreja que está morrendo em todo o mundo. Talvez assim veremos o reavivamento!”, acrescenta ele.

E a respeito do seu próprio ministério, ele diz: “Eu ainda sou um servo indigno, mas obediente ao chamado do meu Mestre.”

Assista ao vídeo que conta a atuação da Portas Abertas Internacional durante o período comunista europeu e soviético.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE