“Temos o direito de abrir igrejas”

| 04/01/2017 - 00:00


04-egito-vista-horizonte-cairo

Mais de 10 casas de propriedade de cristãos foram vandalizadas, outras 3 saqueadas e comércios que pertenciam a eles foram destruídos, numa pequena vila do Egito. O ataque aconteceu duas semanas depois dos rumores de que uma comunidade cristã planejava abrir uma igreja no local. Os agressores atiraram pedras e coquetéis molotov logo após saírem de suas tradicionais orações de sexta-feira. Durante o ataque eles gritavam “não queremos uma igreja aqui”.

Algumas pessoas tentaram ajudar e o próprio prefeito local tentou impedir a violência. Bombeiros também chegaram para dar reforço, mas os muçulmanos impediram sua passagem. A polícia chegou 1 hora e meia depois do ocorrido e usou gás lacrimogêneo para dispersar a multidão.

Um dos cristãos declarou: “Temos o direito de abrir igrejas”. Yaccoub* alega que pediram autorização ao governo, mais de 3 vezes, e que o pedido foi rejeitado. “Há mais de 2 mil moradores na aldeia e temos que dirigir mais de meia hora para chegar à igreja mais próxima, para que possamos orar e ter comunhão entre os irmãos. É nosso direito básico ter uma igreja aqui”, reivindica ele.   

Yaccoub também acrescenta que os cristãos querem justiça e que os extremistas muçulmanos que os atacaram devem ser punidos. “Acredito que a punição funcionará como forma de impedimento, para que eles não façam isso novamente. Queremos viver num Estado que prioriza a ordem e o cumprimento das leis”, disse. No total, 29 pessoas foram presas, 15 já foram liberadas e 14 ficaram detidas para interrogatórios. 

A construção de igrejas no Egito tem sido uma questão controversa. Em agosto, a Igreja Copta disse que as emendas propostas sobre uma lei para a construção da igreja eram ""inaceitáveis e impraticáveis”. Haverá reuniões com o objetivo de discutir uma nova legislação priorizando eliminar os obstáculos que impedem a construção de igrejas. Projetos semelhantes já foram apresentados em 2006, 2009, 2011, 2012, e 2014. Até agora nada foi resolvido para aliviar a situação dos cristãos.  

*Nome alterado por motivo de segurança

Leia também
Comunidade cristã é atacada durante culto
Cristãos no Egito enfrentam perseguição severa


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE