Uma história de Páscoa diferente

Relembramos incidentes nesta época dos últimos anos e como a nossa oração é necessária

| 29/03/2018 - 00:00

Ore a Deus para que a Igreja Perseguida possa celebrar a Páscoa em paz e segurança (Foto representativa por razões de segurança)

Ore a Deus para que a Igreja Perseguida possa celebrar a Páscoa em paz e segurança (Foto representativa por razões de segurança)


A probabilidade e a severidade da perseguição aumentam na época da Páscoa, assim como no Natal. Nos últimos três anos, presenciamos cristãos sendo atacados em grande escala durante a Páscoa. Você vai ler abaixo sobre alguns desses ataques. Nesta Páscoa, una-se aos cristãos perseguidos em oração para que não haja nenhum incidente violento, mas para que seja realmente um tempo de alegria e de celebrar o Cordeiro em toda a terra.

No Quênia, em 2 de abril de 2015, quatro homens do grupo extremista islâmico Al-Shabaab atacaram a universidade de Garissa. Explosivos foram lançados na capela onde os estudantes estavam orando, matando 22 deles. “Se você fosse muçulmano, sua vida estava a salvo. Eles pediam para você recitar um verso do Alcorão, e diziam ‘você é nosso irmão, pode ir’”, relata uma testemunha. Por fim, os terroristas detonaram seus coletes suicidas, matando 148 pessoas.

O maior ataque no estado mais cristão do Paquistão

No dia 27 de março de 2016, domingo de Páscoa, famílias estavam reunidas no Parque Lahore quando uma bomba foi detonada na entrada do parque. Setenta e cinco pessoas, incluindo mulheres e crianças, foram mortas. Outras 300 ficaram feridas. Um grupo extremista que tem laços com o Talibã assumiu a autoria do ataque. Foi o pior ataque no estado de Punjab, que é o estado com maior presença de cristãos do Paquistão. Um ano antes, na Páscoa de 2015, homens-bomba haviam atacado duas igrejas em Youhanabad, matando 14 pessoas. Em 2013, 78 pessoas foram mortas em uma igreja em Peshawar, após o culto de Páscoa.

“Celebramos a Páscoa sabendo que a qualquer momento um homem-bomba pode chegar e interromper nosso culto, nossa adoração, nossa oração. Então eu penso: ‘Será que algo vai acontecer, ou posso adorar a Deus plenamente’”, disse uma cristã ex-muçulmana do Paquistão, mãe de dois filhos, que agora celebra a verdadeira Páscoa.

Três ataques marcaram a Páscoa de 2017 no Egito

Em 9 de abril de 2017, no domingo anterior ao domingo de Páscoa, homens-bomba atacaram duas igrejas, em duas cidades egípcias, na hora do culto. Ao menos 44 pessoas foram mortas e mais de 100 ficaram feridas. O Egito declarou estado de emergência. O Estado Islâmico confessou ser a igreja o seu alvo e alertou todos os militantes a “não deixar nenhum cristão infiel no Egito sem ser ameaçado”. Alguns dias depois, um grupo de cristãos viajava de ônibus para uma celebração da igreja quando homens armados atacaram o ônibus, matando 28 pessoas.

Arif*, um dos nossos parceiros locais no Egito, diz: “Em nosso discipulado, buscamos deixar os cristãos conscientes de que a perseguição é parte da vida cristã. Queremos ajudar as pessoas a andar perto de Deus e entender que são preciosas para ele, apesar do que possa acontecer com elas”. Sim, esses irmãos são preciosos para Deus. Você pode ajudá-los a se lembrar disso ao separar alguns minutos para orar por eles, mostrando que somos um só corpo e estamos juntos.

*Nome alterado por segurança.

Faça mais por nossos irmãos perseguidos
A Portas Abertas leva ajuda emergencial a cristãos vítimas de ataques e atua no discipulado de cristãos para que possam enfrentar a perseguição e permanecer firmes na fé. Para saber como você pode se envolver com esses projetos, levando força e esperança à Igreja Perseguida, clique aqui.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE