O que leva os cristãos a fugirem?

Entenda como os cristãos se tornam refugiados e deslocados internos por conta da perseguição religiosa

| 18/06/2022 - 08:00

Ajuda emergencial é entregue a refugiados sírios no Líbano

Ajuda emergencial é entregue a refugiados sírios no Líbano


No dia 20 de junho é celebrado o Dia Mundial do Refugiado. Refugiados e deslocados internos enfrentam diversos desafios e são sujeitos a muitas vulnerabilidades, que são acentuadas pelo simples fato de serem deslocados. Entre os desafios estão contínua insegurança física, falta de recursos e abrigo, tráfico humano, sequestro, ataque físico e violência sexual, além dos desafios psicossociais decorrentes do trauma da fuga.

Mas há uma vulnerabilidade extra para minorias religiosas? Quais os desafios adicionais enfrentados por cristãos devido a sua identidade religiosa? Primeiro, é importante saber que cristãos obrigados a fugir não deixam a perseguição religiosa para trás. Isso porque ser cristão tem um impacto negativo na experiência do refugiado ou deslocado interno, afinal ele continua se expondo como alvo, ameaça ou pessoa menos valorizada.

Mas por que os cristãos fogem?

Em casos em que a perseguição religiosa é um fator claro para a fuga dos cristãos, em nível global, há quatro principais agentes que resultam no deslocamento. São eles: pressão familiar, pressão do Estado, pressão da comunidade e grupos religiosos violentos. Alguns agentes acabam tornando alguns grupos mais alvo do que outros.

Grupos religiosos violentos e oficiais do governo podem visar indivíduos mais relevantes, como líderes de igrejas, tendo-os como uma influência negativa para a comunidade local. Além disso, a saída de um líder de igreja pode funcionar como gatilho para que outras famílias cristãs também se mudem, alcançando o objetivo desejado dos perseguidores.


Entenda melhor os quatro principais agentes que levam ao deslocamento de cristãos.


1. Pressão familiar


Os que pertenciam a uma religião majoritária e se convertem ao cristianismo relatam que são expulsos pelas famílias, sendo até mesmo ameaçados de morte. A pressão é tão extrema que fugir é considerada a única opção.


2. Pressão do Estado


Agentes do governo, em nível local e nacional, têm poder e recursos para prejudicar cristãos, inclusive por meio do uso de leis relacionadas a blasfêmia, casamento e liberdade de reunião. Além disso, eles podem não proteger as comunidades cristãs de danos, seja de forma intencional ou não, e promover uma cultura de impunidade para responsáveis de violações de liberdade religiosa.


3. Pressão da comunidade


Além da família imediata, a comunidade também pode representar uma fonte poderosa e constante de pressão, já que muitas vezes ela controla o acesso aos recursos locais.


4. Grupos religiosos violentos


Em países por todo o mundo, grupos religiosos violentos continuam tornando minorias religiosas seu alvo e as aterrorizando. Muitas vezes a tentativa deles é de erradicar todos os seguidores de Jesus da região onde operam. Esses grupos atuam em contextos caracterizados por conflitos, insegurança e ilegalidade.

Você pode ler mais sobre como esses agentes de perseguição que causam o deslocamento de cristãos atuam de acordo com a região. Leia também o artigo completo sobre os refugiados.

 

Socorra cristãos deslocados

Muitos são os desafios enfrentados pelos mais de 360 milhões de cristãos perseguidos em todo o mundo. A situação piora quando o país enfrenta algum tipo de crise, conflito ou guerra, deixando os cristãos sob dupla vulnerabilidade. Com uma doação, você contribui para nosso fundo regional e permite que cristãos perseguidos que mais precisam de ajuda tenham suas necessidades básicas supridas.

 


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco