Paquistão é visto como local inseguro para minorias religiosas

| 18/09/2014 - 00:00


18_pakistan_SITE.jpg

O Paquistão tornou-se um ""Estado muito perturbado"", em contradição com os sonhos de seu fundador Muhammad Ali Jinnah. Tal afirmação foi feita em uma palestra realizada na Universidade de Columbia nesta terça-feira (16).

O professor emérito da Universidade, Ainslie Embree, editor-chefe da Enciclopédia de História da Ásia (1989), observou que o Paquistão tornou-se o Estado que Jinnah nunca quis quando o fundou.

Durante a primeira assembleia constituinte, em agosto de 1947, Jinnah reiterou que o Estado não tinha nada a ver com a religião de qualquer cidadão. No entanto, ao contrário de sua visão, as minorias não estão seguras no país. Embree referiu-se a ahmadis e cristãos, principalmente, e outros grupos minoritários.

Nos últimos 30 anos, o que se é dito sobre o Paquistão é que o Estado está “à beira do desastre”, disse Embree. Uma colaboradora da Portas Abertas na região afirmou: “Todos os dias agradeço a Deus por todos os irmãos que estão orando por nós. Nós somos muito abençoados por ter nossa família em Cristo intercedendo por este país”.

Ore pela Igreja no Paquistão e pelas centenas de irmãos que enfrentam a perseguição diariamente por causa de sua fé em Jesus.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE