Apesar de independente, Tajiquistão ainda segue a Rússia

O secularismo e perseguição aos cristãos são heranças que o Tajiquistão recebeu do colonizador comunista

Desde 1991, a data de 9 de setembro é especial para o Tajiquistão, já que foi nesse dia que o país se tornou independente da União Soviética. Entretanto, há muitos resquícios do comunismo no território. Um deles é o secularismo, ou seja, o governo não admite nenhuma influência da religião no Estado e nas instituições públicas. O problema é que ele também quer delimitar o nível de devoção das pessoas, restringindo a liberdade religiosa, que é o 18º artigo dos Direitos Humanos.

A dependência econômica é outro ponto que ainda comprova uma certa ligação entre o Tajiquistão e a Rússia, já que um dos maiores consumidores de algodão e fios de alumínio produzidos no país é o antigo colonizador. Além disso, a escassez de emprego tem impulsionado a saída de centenas de pessoas da região e levado a viver em território russo.

Por isso, ser um cristão no Tajiquistão é realmente um desafio, já que terá o governo como uma das fontes de perseguição. Desde pequeno, um tajique começa a ser privado de educação religiosa e até os 10 anos não pode participar de atividades relacionadas à fé. Caso isso aconteça, os pais e a comunidade onde vive são multados. Os cristãos ex-muçulmanos enfrentam ainda mais hostilidade por parte dos familiares e vizinhos.

A Portas Abertas contou a história de Bayram*, um jovem soldado convertido que foi perseguido por superiores e agredido por outros militares. Tudo isso aconteceu porque viram o cristão ex-muçulmano lendo a Bíblia em um momento de folga. Outro testemunho que ganhou atenção internacional foi do pastor Bahrom Kholmatov, que foi preso sob acusação de extremismo religioso.

Ele cumpriu pena no período entre abril de 2017 e dezembro de 2019. No início, ele não podia receber visita da esposa e de nenhum irmão da igreja. Enquanto estava preso, o líder cristão tinha proteção especial para assegurar que ele não compartilhasse o evangelho com outros detentos. Porém, o pastor Kholmatov se manteve fiel à ordem de Cristo e espalhou as boas-novas em todas as oportunidades.

*Nome alterado por segurança.

Pedidos de oração