Cerca de 22 mortos em ataque na República Democrática do Congo

O ataque foi realizado por grupo extremista em uma região de maioria cristã

O portal britânico de notícias Reuters reportou o assassinato de 22 pessoas em Bulongo, uma vila perto da cidade de Beni, na província de Kivu do Norte, no Leste da República Democrática do Congo. De acordo com o chefe da comunidade, os agressores são suspeitos de serem membros do grupo islâmico Forças Democráticas Aliadas (ADF, da sigla em inglês), que fez um número desconhecido de reféns.

Em uma tentativa de conter os ataques que já deixaram mais de 1.200 mortos na região de maioria cristã, o presidente anunciou um estado de cerco na área no início de maio. Existem muitos grupos rebeldes lutando no país. A maioria deles é impulsionada por fatores étnicos e socioeconômicos, mas a ADF que está ativa no leste do país quer a expansão do islã e o faz através de ataques violentos e emboscadas.

Eles conseguiram controlar áreas do campo, primeiro na província de Kivu do Norte, mas agora também na província de Ituri. Os parceiros da Portas Abertas na região acreditam que a ADF está trabalhando para remover a população local, em sua maioria cristã, para expandir a base islâmica na região. A República Democrática do Congo ocupa o 40º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2021, onde os seguidores de Jesus enfrentam perseguição vinda principalmente dos grupos armados e de redes criminosas.

Pedidos de oração