Coreia do Norte X Afeganistão

Os dois primeiros lugares na Lista Mundial da Perseguição 2018 tiveram quase a mesma pontuação. Saiba o que diferencia a perseguição em cada nação

| 17/01/2018 - 00:00

Coreia do Norte e Afeganistão, qual a diferença de perseguição entre eles?

Coreia do Norte e Afeganistão, qual a diferença de perseguição entre eles?


A perseguição na Coreia do Norte e no Afeganistão é bastante diferente, apesar de o nível de perseguição ser extremo e as pontuações dos dois países estarem bem próximas. A Coreia do Norte lidera a Lista Mundial da Perseguição pelo 16º ano consecutivo e sua principal fonte de perseguição é o governo e a paranoia ditatorial. O país possui duas ideologias como base. Uma é chamada de "Juche", que basicamente diz que o homem é auto-suficiente.

A outra é "Kimilsungism", o culto aos líderes que são entidades poderosas e governam a Coreia do Norte. Aos norte-coreanos, não há direitos à liberdade de pensamento, religião, expressão e informação, e isso afeta fortemente a igreja: cristãos enfrentam níveis de pressão extremos em todas as áreas da vida, combinados com alto grau de violência e punição. Os 300 mil cristãos na Coreia do Norte são vistos como traidores do Estado.

Sem liberdade e paz

Do outro lado, no Afeganistão, há uma situação oposta: não há um governo no controle da nação. O país é instável e marcado pelo extremismo islâmico. Os afegãos não experimentam liberdade e paz há séculos. Extremistas lutam contra as tropas do governo afegão e atacam minorias. Grupos como o Talibã e o Estado Islâmico demonstraram seu poder em uma onda de ataques em 2016.

Além disso, a Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos Estados Unidos, em 2015, listou a nação como uma das que mais viola os direitos humanos. Outro agravante é que a população afegã vive um islamismo conservador que não respeita outras crenças. Oficialmente, não há cristãos neste Estado 99% muçulmano além do militares internacionais, diplomatas e trabalhadores de ONGs (que, se for o caso, vivem a vida cristã em quartéis militares seguros). Os cristãos indígenas (principalmente os ex-muçulmanos) escondem-se o máximo que podem.

É importante ressaltar que a perseguição nos dois países atinge todas as esferas da vida do cristão. Seja ela privada, familiar, comunitária e na igreja (que nos dois países é proibida). A pequena diferença que faz com que o Afeganistão ocupe a segunda colocação é a sutil menor incidência de violência física. Afinal, nos campos de trabalhos forçados na Coreia do Norte, que mantém seus prisioneiros em situações deploráveis, estão cerca de 50 mil cristãos.

Acesse a Lista Mundial da Perseguição 2018 e saiba mais sobre a Igreja Perseguida e seus desafios ao redor do mundo.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE