Cristãos chineses arriscaram a vida para receber um milhão de Bíblias

Confira os testemunhos de irmãos que participaram do Projeto Pérola na China

| 17/06/2021 - 06:00

Por serem proibidas, os cristãos chineses não tinham acesso às Bíblias. Mas em uma noite, receberam um milhão de exemplares do Projeto Pérola

Por serem proibidas, os cristãos chineses não tinham acesso às Bíblias. Mas em uma noite, receberam um milhão de exemplares do Projeto Pérola


Ontem, a Portas Abertas começou a contar sobre o Projeto Pérola, quando um milhão de Bíblias foram entregues aos cristãos na China, em junho de 1981. O projeto secreto envolveu tanto cristãos de países livres como cristãos perseguidos no país comunista.

Como foi a entrega de um milhão de Bíblias no Projeto Pérola?

A confecção, o transporte e a distribuição de um milhão de Bíblias não aconteceram instantaneamente. Exigiu planejamento e muitas visitas ao país, tanto do Irmão André como de outros membros da equipe da Portas Abertas. Em uma das ocasiões, os responsáveis pelo projeto resolveram entrevistar alguns líderes cristãos chineses para saberem se tinham noção do risco que estavam correndo em receber as Bíblias proibidas.

O Irmão André e outros membros da equipe da Portas Abertas visitaram a China várias vezes antes de colocar o Projeto Pérola em ação

A resposta de um deles foi: “Nós já estivemos na prisão por causa do Senhor muitas e muitas vezes. Somando todo o tempo, já passamos um total de 72 anos na cadeia por Jesus. Estamos dispostos a morrer para que um milhão de irmãos e irmãs tenham um exemplar da palavra de Deus”.

Neste momento, não tiveram mais perguntas, apenas a certeza de que estavam lidando com pessoas que amavam a Cristo mais do que a própria vida. Então, o rebocador Miguel levantou âncora e no dia 18 de junho chegou até a costa chinesa. A escuridão era completa e o mar estava calmo, ideal para o desembarque dos 232 fardos de Bíblias. Eles rolaram os pacotes de Bíblias para o mar e três barcos menores puxaram rumo à praia.

“Nesse momento, a praia antes deserta sofrera radical transformação. Cerca de dois mil cristãos chineses haviam emergido das sombras e descido à praia, alguns entrando no mar com água pelo pescoço, enquanto outros formavam uma fileira quase militar até as árvores”, conta o Irmão André no livro “O Contrabandista de Deus desafiando os limites da fé”.

Como os cristãos chineses conseguiram receber as Bíblias?

Um dos presentes entre os chineses que receberam as Bíblias era Xiao Chen, um adolescente que não tinha dimensão do que estava fazendo, mas foi para acompanhar o irmão mais velho, Da Chen. “Lembro-me de um navio gigante sem bandeiras se aproximando lentamente do porto. Todos na praia pareciam muito ansiosos. Então, um pequeno barco de borracha desceu do navio. Eu vi meu irmão mais velho remando um barco até o navio e falando com um estrangeiro que poderia ser o capitão”, conta.

Centenas de irmãos chineses aceitaram o desafio de transportar os pacotes de Bíblias entre o barco e a praia (foto representativa)

O processo de descarregar as caixas na praia foi repetido várias vezes e para os cristãos que estavam recebendo as Bíblias também era uma honra. “Eu conheci o capitão. Ele era muito alto. Ele segurou minhas mãos e orou. Depois, ele tocou no meu ombro e disse ‘Ok´. Acho que ele nos pediu para nos apressarmos. Tínhamos pedido a centenas de irmãos que viessem e pegassem as Bíblias com varas de ombro”, lembra Da Chen.

Algumas horas depois, os soldados chineses correram para a praia carregando tochas para ver o que estava acontecendo. Então, Da Chen disse ao irmão para correr. “Corri o mais rápido que pude. Também disse a outros cristãos para não irem à praia. Mais e mais irmãos estavam a caminho porque ouviram que havia algo de valor e fácil de pegar.”

Algumas caixas de Bíblias foram escondidas em cavernas e outras ficaram perto de árvores ao longo da costa. Então, os guardas abriram os pacotes e descobriram que eram o livro sagrado dos cristãos. Tentaram botar fogo nos exemplares, mas não queimaram facilmente. Por isso, jogaram as Bíblias na água. 

O que aconteceu com as caixas de Bíblias que ficaram no mar?

Muitas caixas contendo Bíblias foram lançadas no mar e acabaram nas redes dos pescadores locais. Eles pensaram que o material poderia ser usado no mercado para embrulhar peixes. Outros chineses nadavam até os pacotes e traziam para a praia, apenas sabendo que se tratava de livros cristãos.

Alguns deles descobriram que os livros não eram úteis para eles e simplesmente os deram aos cristãos que conheciam. As Bíblias estavam bem embaladas em sacos plásticos e caixas. Muitas delas ainda estavam secas. Nossos irmãos e irmãs receberam esses presentes preciosos de vizinhos com grande alegria!”, conta Charlie, outro cristão chinês.

Cada Bíblia entregue no Projeto Pérola foi considerada como um tesouro pelos cristãos chineses, que não tinham acesso à palavra de Deus

O seguidor de Jesus viu um pescador embrulhando peixe com uma página de uma Bíblia e decidiu comprar os exemplares que ele tinha pescado. Ele lembrou da época de quando se converteu: “Nosso pastor era o único que tinha uma Bíblia. Tínhamos que copiar os versículos em cadernos e papéis todos os domingos para que pudéssemos continuar a ler as palavras de Deus na próxima semana”.

Nas semanas seguintes do Projeto Pérola, as Bíblias obtidas por pescadores e nadadores já estavam quase secas, mas tinham outras que ficaram molhadas por muito tempo e precisavam de reparos para serem distribuídas em outros locais. “Cada Bíblia é preciosa para nós! Embora muitos irmãos e irmãs em nosso distrito já tivessem as Bíblias do projeto, nós queríamos abençoar cristãos chineses em outros lugares”, explica Charlie.

Como as Bíblias do Projeto Pérola chegaram até outras regiões da China?

Assim como Charlie, outros cristãos se envolveram na tarefa de distribuir a palavra de Deus. Apenas Charlie conseguiu espalhar cerca de 700 caixas de Bíblias. Para isso, ele contou com ajuda: “Durante esse período, meus familiares apoiaram meu ministério. Irmãos e irmãs tiveram a paixão de me ajudar também. Não poderia ter sido feito apenas por meu próprio esforço”, reconhece.

A igreja local também orou e apoiou para que o trabalho de distribuição continuasse. “Quando vimos as Bíblias espalhadas em diferentes partes da China, ficamos muito tocados. O trabalho foi feito através do esforço conjunto de irmãos e irmãs em diferentes lugares”, conta o cristão.

Lucy foi uma das cristãs de outra região que recebeu a Bíblia do Projeto Perola há 30 anos. “Ouvi de meu pai que um estrangeiro muito rico havia alugado um grande navio para transportar uma carga completa de Bíblias para a China em uma noite. Havia muitas Bíblias. Recebemos milhares delas!”, conta a líder cristã. O pai dela era um pastor itinerante que ao voltar para o centro do país encontrou um irmão na fé, que compartilhou a experiência de receber bolsas de Bíblias misteriosamente, na porta da loja de conveniência onde trabalhava. 

O pai de Lucy teve acesso a essas Bíblias e levou-as até o noroeste do país, graças à ajuda de um cristão que trabalhava no trem. “Sempre que meu pai voltava para a cidade natal dele, pegava aquele trem específico para carregar Bíblias. Esse irmão foi muito corajoso. Se ele tivesse sido descoberto, não apenas teria perdido o emprego, mas também teria sido preso. Graças a Deus pela proteção dele, eles nunca foram pegos.”

Ninguém sabia que aquele trem em particular levava milhares de Bíblias para os vilarejos mais remotos da China por três anos. Milhares de cristãos tiveram acesso à palavra de Deus por causa de pessoas corajosas, dispostas a arriscar a própria vidas para espalhar o evangelho. “Quando meu pai carregava as Bíblias, era como se estivesse carregando um tesouro. Sempre disse aos cristãos que essas Bíblias não tinham preço, que foram trocadas por vidas”, completa.

Amanhã você saberá quais as principais consequências do Projeto Pérola na vida tanto dos cristãos que participaram do planejamento e da entrega, quanto dos irmãos e irmãs que receberam e distribuíram um milhão de Bíblias na China comunista. Não perca!

Chegou a sua vez!

A igreja composta por cristãos ex-budistas está crescendo e a hostilidade do governo contra eles também. Por isso, eles precisam de Bíblias para desenvolver a fé e resistir à perseguição. Doe uma Bíblia digital a um irmão em Cristo na China, tone-se um parceiro da Portas Abertas e receba mensalmente a Revista Portas Abertas. 


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE