Cristãos terão maior representação política

| 05/10/2016 - 00:00



Embora os Territórios Palestinos estejam sob diferentes governos, esse ano haverá eleições municipais. Será a primeira votação com a participação de dois partidos (Hamas e Fatah), desde 2006. Os movimentos rivais entre o Fatah (nacionalistas, laicos) e o Hamas (irmãos muçulmanos) são de longa data e os conflitos violentos atingem a todos os cidadãos.

Sabe-se que existe um confronto político entre os territórios, onde a força palestina tem grande domínio na Cisjordânia, ocupada pelos israelenses. Mas dessa vez existe uma surpresa para os cristãos. O presidente da Autoridade Nacional Palestiniana, Mahmoud Zeidan Abbas, também conhecido pelo nome de guerra “Abu Mazen”, emitiu um decreto que vai aumentar a cota para os cristãos em conselhos administrativos locais, nas províncias de Ramallah e Belém, e também numa série de aldeias ao redor das duas províncias.

Esse parece um gesto muito amigável com os cristãos locais, já que com o aumento de assentos reservados para cristãos, a igreja poderá ser favorecida. Embora essa iniciativa também tenha causado certa desconfiança por parte de alguns. A participação do Hamas nessas eleições também foi um fator surpresa. Parece que o decreto é uma forma de reduzir a representação desse grupo extremista nas autarquias locais. Pode haver contestações, de acordo com um dos líderes do Hamas: “Esse decreto viola a lei palestina básica e também os princípios da democracia, que garantem a igualdade de oportunidades entre muçulmanos e cristãos”, conclui Moussa. Ore pela igreja nessas regiões.

Leia também
Os desafios dos cristãos palestinos


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE