#Ramadã: Desesperados por misericórdia, nos últimos dias do Ramadã

As expectativas dos muçulmanos com o fim do Ramadã

| 17/07/2015 - 00:00

No último dia do Ramadã, cerca de 50 mil muçulmanos oram juntos na China

No último dia do Ramadã, cerca de 50 mil muçulmanos oram juntos na China


Milhões de muçulmanos, em todo o mundo, estão orando, jejuando, lendo o Alcorão e ajudando os que mais precisam. Eles fazem tudo o que podem durante o Ramadã, na esperança de alcançar a misericórdia de Alá, para o perdão de seus pecados.

Em alguns dias, começa para eles um período de festas, quando famílias e amigos se reúnem para celebrar o encerramento do mês, que é considerado o mais sagrado para a comunidade muçulmana. Mesas decoradas, um cardápio farto e delicioso, jantares suntuosos, música e crianças alegres, vestindo roupas coloridas.

A comemoração de quatro dias, em muitos países, vai compensar a longa jornada de um jejum cansativo e sacrificial. Em breve, a vida voltará ao normal para eles e, inseridos ao cotidiano, questionarão se Deus realmente aceitou tudo o que fizeram. Agora eles podem dizer adeus ao jejum. Mas será que eles agradaram a Deus?

Será que todo muçulmano pode realmente dizer, após o Ramadã: “Eu estou perdoado de todos os meus pecados, e sei que eles foram eliminados por causa das minhas boas ações?" Eles fazem todo o possível para se justificar, mas nada lhes garante a certeza do favor de Deus. Vamos continuar orando pelos muçulmanos, para que conheçam o verdadeiro Deus e experimentem o seu amor eterno e sua compaixão, que nos é dada através do poder do sangue de Jesus Cristo! Oremos por eles.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE