Em Burkina Faso, jihadistas juram fidelidade ao Estado Islâmico

Ataque do grupo em Burkina Faso causou a morte de 17 civis em 20 de junho

| 08/07/2019 - 06:00

A ação de grupos jihadistas em Burkina Faso já levou muitos a fugirem, se tornando deslocados internos, como estes

A ação de grupos jihadistas em Burkina Faso já levou muitos a fugirem, se tornando deslocados internos, como estes


No vilarejo de Belehede, no norte de Burkina Faso (país do Sahel Africano, região da África situada entre o deserto do Saara e as terras mais férteis a sul, que forma um corredor quase ininterrupto do Atlântico ao Mar Vermelho), jihadistas mataram 17 civis em um ataque noturno, na madrugada do dia 20 de junho. O ministro da Defesa, Cheriff Sy, disse que não tinha detalhes, mas afirmou: “Vamos anunciar quando mais informações estiverem disponíveis”.

A preocupação sobre o rápido aumento de grupos militantes nas regiões norte e leste do país é crescente. No dia 26 de maio, ocorreu o quarto ataque a adoradores cristãos em um período de cerca de três meses. Na ocasião, militantes islâmicos atacaram uma igreja durante o culto em Toufle, na região norte, matando quatro cristãos. O ataque ocorreu logo após uma visita da equipe da Portas Abertas ao país.

Enquanto isso, um portal de notícias da Fundação para a Defesa de Democracias, chamado Long War Journal, com base em Washington, nos Estados Unidos, reportou que militantes do Mali e Burkina Faso lançaram um vídeo em que reafirmam lealdade ao califado de Abu Bakr al-Baghdadi, líder do grupo Estado Islâmico. O autoproclamado califado continua a competir com a al-Qaeda pela lealdade de potenciais jihadistas na região. O vídeo tem por objetivo sublinhar o compromisso dos seguidores de Baghdadi, apesar dos contratempos no Iraque e Síria.

O vídeo começa com uma declaração escrita que afirma a solidariedade dos combatentes ao Estado Islâmico, dizendo que permanecem fiéis ao juramento e que continuarão a combater as forças dos infiéis, que afirmam ter erradicado o califado. No vídeo, os combatentes dizem: “Nós juramos ao califa dos muçulmanos, xeique Abu Bakr al-Baghdadi, que vamos ouvir e obedecer, durante momentos difíceis e fáceis, em dificuldade ou prosperidade”. Eles acrescentaram que vão “enfrentar” qualquer adversidade que surja em seu caminho e, em concordância com seu compromisso de fidelidade, não vão discutir nem enfraquecer seus líderes, a não ser que eles ajam claramente em descrença.

Pedidos de oração

  • Interceda pelos países do Sahel Africano, como Burkina Faso, Níger e Mali. Clame pela paz e para que os planos do inimigo sejam frustrados.
  • Clame pela vida dos cristãos perseguidos e suas igrejas, para que sejam guardados pelo Senhor e perseverem no caminho, entregando seus cuidados a Deus.
  • Ore para que a misericórdia e poder do Senhor alcance a vida de muitos jihadistas e eles sejam pessoas transformadas pelo poder de Jesus.

Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE