Entenda o Ramadã

Entenda a relação entre o Ramadã e a Igreja Perseguida

| 21/08/2008 - 00:00

Na China, muçulmanos se reúnem para oração durante o Ramadã

Na China, muçulmanos se reúnem para oração durante o Ramadã


No século 7, a igreja cristã passou a conviver com a expansão do islamismo. Os muçulmanos, estimulados por sua nova fé, iniciaram a missão de converter os incrédulos. Com a pregação de uma religião monoteísta e universal, que exalta a submissão a Alá, até os dias de hoje milhares de adeptos se rendem ao islamismo.

A principal fonte da religião muçulmana é o Alcorão, que tem como tema principal a crença em Deus, que em árabe se chama Alá. A vontade de Alá é conhecida através da vida de muitos profetas, incluindo-se alguns personagens bíblicos como Abraão, Moisés e Cristo. Porém, ainda segundo os preceitos dessa religião, Maomé é o último e maior dos profetas.

Integra a pregação islâmica a submissão passiva à vontade de Alá, com a promessa de que os homens usufruam de um paraíso sensual após o julgamento final. Ao contrário, o fiel que não alcançar o paraíso sofrerá o terror do inferno. Apesar de monoteísta e de citar os profetas bíblicos, considera o cristianismo e o judaísmo como impuros. Por isso, entre os grupos mais radicais a intolerância com outras religiões é evidente.

Quais são os cinco pilares do islamismo?

1. A recitação e aceitação do credo, chamado Shahada. É uma declaração através da qual o muçulmano atesta que "não há outro Deus além de Alá e Maomé é o seu profeta";

2. Orar cinco vezes ao longo do dia, a Salat. Refere-se às cinco orações rituais que cada muçulmano deve realizar diariamente voltado para a cidade de Meca;

3. Pagar dádivas rituais, a Zakat. É um tributo religioso, traduzido  como esmola;

4. Observar o jejum no Ramadã, Saum. Ramadã é o mês sagrado dos muçulmanos, um período de renovação da fé, da prática mais intensa da caridade e vivência profunda da fraternidade e dos valores familiares. Neste período é preciso estar próximo aos valores sagrados, dedicar-se à leitura do Alcorão, ir com freqüência à mesquita e ter correção pessoal e autodomínio. O jejum é observado durante todo o mês, do alvorecer ao pôr-do-sol.

5. Fazer a peregrinação a Meca, o Hajj. Todos os muçulmanos que têm dinheiro e saúde devem realizar uma vez na sua vida uma peregrinação à cidade de Meca durante o mês de Dhu al-Hija. Em Meca, os muçulmanos realizam uma série de rituais.

Qual a relação da Igreja Perseguida com o Ramadã?

Dentre os cinco pilares do islamismo, o Ramadã é aquele que inspira maiores cuidados por parte da Igreja Perseguida. Para muitos cristãos é um mês de apreensão devido às manifestações de intolerância e violência por parte dos muçulmanos.

Em 2008, o Ramadã vai de 1º a 30 de setembro. Esse é um mês muito especial para o povo islâmico, pois, segundo a tradição, foi o mês em que Maomé recebeu revelações do anjo Gabriel, que, reunidas mais tarde, formaram o Alcorão.

O jejum do Ramadã é um dos pilares mais obedecidos pelos muçulmanos. Ele ocorre no nono mês muçulmano, que é baseado no calendário lunar.  Cada um dos meses do calendário tem quase o mesmo número de dias, aproximadamente 28. Assim, o ano lunar dura apenas 354 dias. Por causa disso, o Ramadã muda constantemente de data, se comparado com o calendário cristão, que é baseado no sistema solar.

O jejum durante o Ramadã se estende à comida, à bebida, ao fumo e ao sexo, e vale do nascer ao pôr do sol. As mulheres grávidas e as crianças pequenas são casos excepcionais. O dia-a-dia nos países muçulmanos fica diferente durante esse mês, assim como o Natal no Brasil.

Cada país tem sua forma peculiar de comemorar o Ramadã. No Egito, ele é uma celebração com direito a luzes coloridas, música e muitas comidas finas – o ingrediente especial das festas. Podemos concluir que, também como no Brasil, nas grandes festas religiosas, muitos muçulmanos nominais e não praticantes guardem o jejum e as práticas requeridas durante esse período.

Por que o Ramadã pode ser um mês de intolerância?

Em muitos lugares o Ramadã não é um mês de festas ou de contrição e reflexão dos princípios da fé islâmica.  Mas, se caracteriza por uma busca frenética por alcançar o paraíso. Para alguns grupos muçulmanos o radicalismo é tanto que se acredita que matar um inimigo de Alá no primeiro dia do Ramadã assegura a entrada no paraíso. 

Sua oração pelos cristãos perseguidos é ainda mais necessária durante esse mês. Nossos irmãos vivem dias de grande expectativa e por esse motivo contamos com sua intercessão durante o mês de Ramadã. E não só a sua, mas, de sua comunidade. Desafie sua igreja a interceder durante esse mês. Ore para que Deus proteja nossos irmãos da violência e da intolerância religiosa. Que a vida deles reflita a verdade que muitos muçulmanos buscam através de suas práticas religiosas.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE