Fé que encoraja

Neste Dia da Independência do Uzbequistão, conheça o testemunho de um pastor no país

| 01/09/2021 - 06:00

O testemunho do pastor Makset encorajou outros líderes no Uzbequistão

O testemunho do pastor Makset encorajou outros líderes no Uzbequistão


No dia 31 de agosto de 1991, o Uzbequistão declarou independência e o dia 1 de setembro tornou-se o feriado nacional que celebra a data. O país está localizado na Ásia Central e faz fronteira com o Cazaquistão, o Tajiquistão, o Quirguistão, o Afeganistão e o Turcomenistão. O Uzbequistão é autoritário desde o início, em 1991, quando o regime começou a ser liderado pelo presidente Islam Karimov — ele permaneceu no poder até sua morte, em 2016.  Karimov foi sucedido por Shavkat Mirziyoyev, que permanece no poder do país até hoje. 

 
O Uzbequistão ocupa o 21º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2021 e os cristãos enfrentam pressão vinda da família, de amigos e da comunidade. Não são permitidas atividades religiosas além de instituições estatais e controladas pelo Estado, e os cristãos que são membros de igrejas não registradas são vistos como ameaça ao governo. Os seguidores de Cristo podem ter as reuniões invadidas e serem presos ou multados por participarem de atividades religiosas “ilegais”. 

 
Preso por propagar a palavra 

Durante 90 dias, o cristão do Uzbequistão Makset Djabbarbergenov viveu em uma cela de prisão no Cazaquistão, sob ameaça de ser deportado para o Uzbequistão. O “crime” dele foi liderar pequenas comunidades cristãs em igrejas domésticas sem registro oficial. Em 2007, isso fez do pastor Makset um criminoso procurado, e ele fugiu através da fronteira para o Cazaquistão para escapar da prisão.  


Em 2009, ele e a família haviam conquistado o status de refugiado do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), mas o Cazaquistão se recusa a reconhecer o status de refugiado da família. Finalmente, em dezembro de 2012, ele pôde começar uma nova vida na Europa.
 

 
A Portas Abertas ajudou Makset a fugir e o apoiou. Além disso, foi organizada uma campanha de advocacy e, em todo o mundo, muitos cristãos intercederam por ele e sua família. Ainda é muito difícil para Makset não viver mais na Ásia Central. Apesar disso, ele é um líder cristão muito ativo no novo país onde vive e também na Ásia Central através de contatos com pessoas que vivem na região. 

  

Makset é um grande incentivo para outros pastores que foram perseguidos, como o pastor Liam* da Ásia Central. Pastor Liam compartilha: “Quando o serviço secreto me prendeu e me interrogou por alguns dias, cheguei em casa muito deprimido. Eu realmente me senti culpado e não mais útil. Mas de repente um grupo de cristãos me visitou. Pastor Makset era um deles e ele compartilhou sua história e me encorajou muito! Por causa do que ele passou, vejo que isso também pode acontecer na minha vida. Deus realmente enviou Makset para me encorajar”. 

 

*Nome alterado por segurança. 

 
Pedidos de oração 

  • No Dia da Independência do Uzbequistão, interceda pelos seguidores de Jesus do país que enfrentam todos os tipos de perseguição por causa do amor a Cristo. 
  • Clame para que o Senhor continue usando o pastor Makset para abençoar e encorajar outros cristãos e o mantenha firme na fé no novo país onde vive. 
  • Ore para que mais pessoas no país sejam encorajadas pela fé de líderes, como o pastor Liam, e conheçam a palavra de Deus. 

Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE