Fortaleça o que resta e está para morrer no Iraque

| 23/10/2014 - 00:00


23_Iraq_0380009899

Há 1.600 anos, Mosul está no coração da cultura cristã no Iraque. Até meados deste ano, quando os cristãos locais foram forçados por extremistas ultrarradicais do Estado Islâmico a se converter ao islã, fugir ou morrer.

""Minha filha foi a primeira a nascer no exílio"", diz o cristão Abu Safwan, carregando a pequena criança em seus braços, em meio ao barulho dos cristãos iraquianos deslocados abrigados em uma igreja nos arredores da capital jordaniana, Amã.

""Militantes do Estado Islâmico nos arrancaram e nos expulsaram do nosso país. Saímos de Mosul quebrados"", diz Safwan. ""Eles tomaram nossas casas e empresas e mataram nossos líderes religiosos. Como a gente vai poder voltar para lá?""

No início deste mês, a Organização das Nações Unidas disse que militantes do Estado Islâmico cometeram diversos abusos aos direitos humanos e ""atos de violência de natureza cada vez mais sectária no Iraque"".

A entidade alegou que o grupo realizou possíveis crimes de guerra, incluindo execuções em massa, uso de crianças como soldados e o sequestro de mulheres e meninas para serem usadas como escravas sexuais.

Mantenha a Igreja viva no Iraque!
A Igreja iraquiana precisa de você para continuar viva e cumprir o seu papel. Fortaleça-a em oração e ajude.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE