Batistas e adventistas em favor de imã muçulmano no tribunal

| 25/03/2004 - 00:00


O líder batista do Azerbaidjão, o pastor Ilya Zenchenko e o líder adventista, o pastor Yahya Zavrichko falaram em favor de Ilgar Ibrahimoglu, imã da mesquita histórica de Juma em Baku, capital do país, no dia da abertura de seu julgamento. Eu estive na corte para mostrar minha solidariedade para com ele e oferecer meu apoio. O julgamento passou a ser um espetáculo, um show. Não existe base para as acusações feitas contra ele. Ele é uma vítima., disse o pastor batista ao Forum18 em Baku. O pastor adventista estava igualmente de acordo. Eu não pude comparecer ao julgamento hoje, mas eu creio que ele seja inocente. Ele somente falou a favor dos direitos religiosos., disse Yahya ao Forum18.

Ilgar, que foi preso no dia 1 de dezembro acusado de organizar demonstrações de protestos contra a maneira que as eleições presidenciais foi manipulada, está sob acusação de participação em desordem em massa e resistência às autoridades. Najaf Allahverdiev, irmão do réu, disse que dois policiais alegaram que Ilgar chamou todos na mesquita de Juma para irem às ruas em protesto. Najaf continuou a insistir que seu irmão não estava na mesquita naquele dia, e que as orações foram dirigidas por outro imã, Adil Huseinov. Temos várias pessoas que correm o risco de serem presas por isso, disse ele ao Forum18. O advogado do réu, Elton Kuliev, recorreu à corte para que a investigação de seu cliente seja encerrada devido a falta de provas, mas seu pedido foi rejeitado.

Também foi rejeitado outro pedido de Kuliev para que seu cliente fosse liberto da prisão durante o período do julgamento. Não estamos otimistas quanto ao desfecho desse episódio., reclamou Najaf.

Ele disse que seu irmão aparentava estar bem durante o julgamento. Essa é a primeira vez que eu o vi depois de 115 dias de detenção, disse ele ao Forum18. Desde sua prisão e sua detenção de três meses, Ilgar esteve detido com dezenas de opositores na prisão de Bayl em Baku. Meu irmão estava otimista, mesmo quando nós não estávamos, acrescentou ele. Membros da mesquita de Juma ainda se encontram lutando contra as tentativas das autoridades de expulsá-los do templo que tem sido usado por este fiéis há doze anos. As autoridades querem fazer da mesquita um museu de carpetes como nos tempos soviéticos. Najaf disse ao Forum18 que eles ainda não tinham uma data para a audiência da apelação contra a decisão da corte do distrito de Sabail em Baku de que os fiéis estão obrigados a deixarem a mesquita. O juiz Yusif Kerimov emitiu um parecer no dia 1 de março de que a comunidade tem que deixar o prédio imediatamente, mas depois de protestos internacionais ele suspendeu seu próprio veredicto no dia 11 de março, permitindo que os muçulmanos continuem a freqüentar a mesquita de Juma.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE