Conversão leva três mulheres à prisão militar

Apesar das duras consequências que a conversão ao cristianismo traz na Eritreia, pessoas ainda entregam suas vidas a Cristo.

Em um curto espaço de tempo, uma vila muçulmana testemunhou a conversão de três mulheres. Embora isoladas e jovens na fé, elas não foram intimidadas pela perseguição que se seguiu.

Aatifa, que já era de origem cristã, falou de Cristo para sua amiga Samara, uma muçulmana. Assim que Samara aceitou a salvação em Jesus, ela, por sua vez, compartilhou o evangelho com Zula, uma amiga também muçulmana, a qual igualmente se converteu.

Zula corajosamente disse ao seu namorado, o soldado Fethawi, que se ele quisesse mesmo se casar com ela, deveria primeiro aceitar Cristo como Salvador. Fethawi ficou tão furioso com a conversão da namorada que ele imediatamente mandou prendê-la. Zula foi presa e levada para uma prisão militar.

Na prisão, um soldado perguntou a Zula se ela sabia o motivo de sua detenção. Ela respondeu com ousadia: “Porque afirmo que Jesus Cristo para meu salvador pessoal e porque convidei meu namorado a fazer o mesmo”.

A resposta dela enfureceu o soldado. Para puni-la, ele amarrou junto as mãos e pés da moça e deixou-a do lado de fora de seu escritório por um dia e uma noite.

“Enquanto ele me amarrava, zombava de minha fé perante todos os militares que haviam se reunido ao nosso redor. Lembrei-me do que minha amiga Samara havia me ensinado sobre me unir a Cristo nos sofrimentos deles e sobre alegrar-me na tortura e na dor. Embora estivesse sofrendo ainda como recém-convertida, experimentei a alegria de tomar parte nos sofrimentos de Cristo”, Zula compartilhou.

“No outro dia, o soldado me desamarrou e me chamou em sua sala. Ele queria saber quem havia me contado sobre Cristo. Eu lhe disse que Cristo havia usado uma amiga minha. Ele apontou sua arma para mim e perguntou o nome da minha amiga. Eu dei o nome da Samara.”

No dia seguinte Samara foi levada à prisão.

O mesmo soldado e outro colega interrogaram Samara. Eles lhe perguntaram se ela havia sido a responsável por iludir Zula.

Samara sorriu e respondeu: “A Bíblia diz que a mensagem da cruz é loucura para os que não creem em Cristo. Eu não iludi Zula, para essa religião que vocês consideram extrema, mas sim, a levei para a Luz do mundo, Jesus Cristo, o Cordeiro que tira os pecados dos pecadores, incluindo você e eu.”

Ao ouvir as palavras “você e eu”, o soldado ficou furioso. Apontando para si e para seu colega, ele perguntou se Samara achava que eles eram pecadores. Ela lhes explicou que é isso que a Bíblia ensina, o Livro no qual ela crê de coração. O soldado ordenou imediatamente a prisão de Samara.

Depois de duas semanas, Aatifa foi presa também.

Passados seis meses, o comandante-chefe da prisão militar chamou as três mulheres ao seu gabinete. Ele informou-as de que poderiam ser libertadas em breve se elas parassem de falar sobre Cristo e não contassem a ninguém sobre o tempo que passaram presas.

A reação delas às exigências foi similar à resposta dos apóstolos no livro de Atos: “Não somos inimigas do povo nem do governo eritreu. De acordo com os ensinamentos da Bíblia, queremos obedecer ao seu governo em todas as áreas da vida, mas obedecer a essa ordem vai contra nossa fé.”

O comandante-chefe disse ao seu subordinado imediato: “Veja, elas não vão obedecer”. Entretanto, para a surpresa das mulheres, o subordinado respondeu: “Bem, o que elas disseram é que obedecerão às autoridades em todas as áreas, menos no que concerne a seguir Jesus. O que há de errado com isso? O que precisamos é que elas obedeçam ao governo”.

Para as mulheres, a libertação delas e o resultado de sua prisão foram obra do Senhor: “O Senhor trouxe confusão entre os dois comandantes no campo militar. A fim de manter a paz entre eles, eles decidiram nos libertar sem pré-condições”.

As três amigas vivem na mesma cidade muçulmana de antes, onde há grande oposição ao evangelho.

Pedidos de oração

• Louve ao Senhor por edificar sua Igreja na Eritreia a despeito da oposição. Louve a deus pelo crescimento espiritual de seus filhos, que não têm os mesmos privilégios da chamada Igreja livre.

• Louve a Deus pela libertação dessas três amigas cristãs e por lhes dar a graça e a sabedoria para suportar os seis meses na prisão. Interceda por elas, pois ainda vivem em uma área muçulmana. Peça ao Senhor que continue a lhes dar coragem para testemunhar do amor de Cristo aos outros.

• Interceda pelos mais de 2.800 cristãos presos na Eritreia. Eles sofrem terrivelmente por causa de sua fé. Peça a proteção e a provisão do Senhor para eles. Ore para que eles recebam a sabedoria de deus na hora de interagir com seus perseguidores. Que o Senhor os mantenha perseverantes, apesar das circunstâncias.

• Interceda pelos familiares dos presos. Suplique a graça e a provisão de Deus sobre eles, pois muitos estão sem seu sustento.

• Ore pela saúde mental das pessoas que são mantidas dentro de contêineres de metal. Os que já passaram por isso dizem que a experiência é “enlouquecedora”.