Vítimas de violência religiosa recebem ajuda

“Hoje, sou a mulher mais agradecida do mundo Tenho muitos motivos para estar feliz. A Portas Abertas mudou minha situação, de dor para alegria, de sentimento de solidão para sentimento de ser parte do grande Corpo de Cristo. Receber esse donativos me deram alegria. Graças a Deus”, disse Hannatu Paul, vítima de uma tragédia recente em Maiduguri, na Nigéria.

Maiduguri ainda não se recuperou do ataque do grupo extremista Boko Haram, que ocorreu em 26 de julho (saiba mais). A Portas Abertas foi até o município levar itens básicos para as vítimas cristãs.

Esse incidente causou a morte de 29 cristãos, três pastores entre eles. Inúmeras vítimas foram hospitalizadas por causa dos tiros e outros ferimentos que tiveram durante o incidente. Além disso, mais de 20 igrejas foram destruídas, e quatro delegacias foram incendiadas. Também se relatou que o grupo seqüestrou 15 cristãs e as converteu ao islamismo pela força.

No começo de agosto, Isaac, representante da Portas Abertas, viajou a Maiduguri a fim de avaliar a situação e as necessidades dos cristãos. É extremamente difícil saber ao certo o número de famílias afetadas pela você. A Portas Abertas conseguiu assistir 60 famílias, entre elas, 19 famílias de pastores, que perderam sua casa e todos seus bens.

Também ajudou 19 mulheres que perderam seus maridos nesse episódio de violência.

 “Não estou chorando por causa do que aconteceu. É de alegria por vocês se identificarem comigo. Olhe tudo o que vocês trouxeram. Estou tocada, por isso estou chorando. Que Deus os abençoe ricamente”, disse Mary Mathias.

Os 19 pastores receberam dinheiro para pagar um aluguel, uma cesta básica e um conjunto de livros teológicos de referência para auxiliá-los em seu ministério.

“O amor de Deus não tem limites. Sinto-me ótimo hoje. Ser beneficiado por este programa da Portas Abertas é um antídoto para minha dor. Estou muito grato. Vou usar esse material para a honra e a glória de Deus. Que Ele abençoe todos os que contribuíram”, disse o pastor Emma Okoye, agradecido, quando recebeu seus donativos.

“É excelente testemunhar este dia. Não posso expressar meu apreço pelo que a Portas Abertas está fazendo por mim hoje. Estou muito tocado. Esse presente me fez ver que não estou só. Pertenço a uma família. Não só uma família qualquer, mais uma família que conhece Deus. Eu louvo a Deus por isso”, disse o reverendo Philiph Bukar ao representante da Portas Abertas.

O pastor Frankline Ikegwu compartilhou: “É exatamente isso que o Senhor quer de seu povo: identificar-se com os que sofrem. E foi isso que a Portas Abertas fez por nós hoje... Agradeço a Deus pelo que Ele está realizando. Que a presença do Senhor esteja sobre o ministério de vocês”.

A fim de ajudar as 60 famílias afetadas, a Portas Abertas distribuiu kits com arroz, feijão, milho, óleo de cozinha e sabão.

As famílias de três pastores assassinados receberam ajuda para pagar a mensalidade da escola de seus filhos.

A distribuição levou mais que ajuda material para as vítimas. O objetivo também foi suprir suas necessidades espirituais.

“Não esperava receber nada desse tipo agora. Eu estava numa situação difícil, mas fui animado por esse ato de amor. Deus está agindo. Continuarei a confiar nele. Jamais me esquecerei da Portas Abertas. Meus filhos serão ensinados a confiar em Deus ainda mais, por causa do que Ele tem feito. Faltam-me palavras para expressar minha gratidão. Que Deus os abençoe abundantemente”, disse Esther James assim que recebeu a ajuda para sua família.

“Esse presente é maravilhoso. Não consigo acreditar. Minha alegria é imensa hoje. O Senhor ministrou a mim de forma maravilhosa por meio do ministério de vocês. Estou contente por ser cristã. O amor de Jesus é grandioso. Creio nas promessas de Deus”, disse Clara Simon, agradecida.

“Deus é grande! Posso ver sua bondade hoje. Vou descansar nele. Faltam-me palavras para agradecê-lo. Que Deus continue a abençoar aqueles que se empenharam para contribuir”, disse Asabe Samson.

“Agradeço a Portas Abertas por rapidamente nos ajudar. É maravilhoso...”, disse Victoria Luka.

“Não é fácil ser uma viúva, mas, hoje, o ato de amor de vocês me animou a olhar para Deus e saber que há pessoas orando por mim”, compartilhou Faith Abbas.

O governo central nigeriano pediu aos líderes do escritório local da Associação Cristã da Nigéria recolhesse informações da destruição do dia 26 de julho, antes de auxiliar as famílias traumatizadas em Maiduguri.

Pedidos de oração

• Louve a Deus por abrir o caminho para que essas 60 famílias fossem ajudadas.

• Agradeça ao Senhor por cada cristão em todo mundo que contribui à Portas Abertas e nos possibilita fazer projetos como esses.

• Interceda pelas famílias afetadas, que tiveram de reconstruir suas vidas.

• Ore para que, por meio da graça de Deus, o pouco dinheiro que receberam da Portas Abertas seja suficiente para suprir suas necessidades.