Iêmen completa 31 anos de unificação

Cristãos enfrentam as consequências da guerra civil e da COVID-19 no país

| 22/05/2021 - 06:00

A população do Iêmen convive com as consequências da guerra civil e agora enfrenta a COVID-19

A população do Iêmen convive com as consequências da guerra civil e agora enfrenta a COVID-19


Em 1990, no dia 22 de maio, acontecia a unificação do Iêmen. A República Democrática Popular do Iêmen (Iêmen do Sul) e a República Árabe do Iêmen (Iêmen do Norte) formaram apenas um país. Mas, trinta e um anos após a união, o país está prestes a se dividir novamente. Os conflitos armados, as reivindicações regionais e as interferências estrangeiras colaboraram para que o país se tornasse o mais pobre da Península Arábica.

De acordo com a Organização das Nações Unidas, 24 milhões de iemenitas necessitam de ajuda para sobreviver, o que equivale a 80% da população. Mais de 3 milhões estão deslocados pelo território em busca de um lugar seguro para continuarem a viver.

Nesse contexto, não há muitas maneiras possíveis para lidar com a pandemia da COVID-19 no país. O sistema de saúde foi destruído pelos conflitos e nos campos de deslocados não há espaço suficiente para que as pessoas fiquem isoladas. Lá, os desabrigados já lutam contra a fome e os surtos de cólera e malária. Porém, a situação pode piorar para os cristãos ex-muçulmanos, que são a maioria da igreja local.

O Iêmen está na 7ª colocação da Lista Mundial da Perseguição 2021, com 87 pontos. Como os cristãos são de origem islâmica, a maioria precisa manter a nova fé em segredo. Eles estão sujeitos à detenção e a interrogatório das autoridades, além disso são ameaçados de morte pelos familiares e integrantes de grupos radicais. Os homens e mulheres convertidos casados com muçulmanos podem ser obrigados a se divorciar e perder a guarda dos filhos.

Pedidos de oração

  • No Dia da Unificação do Iêmen, interceda para que a paz de Cristo alcance os líderes que vivem em conflito. Que eles tenham um encontro verdadeiro com Jesus.
  • Ore para que os cristãos ex-muçulmanos consigam compartilhar a fé onde estão e que todos percebam o cuidado e amor Deus pelos filhos dele.
  • Clame para que o Senhor levante organizações e governantes interessados e preparados para cuidar da população.

Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE