Malásia a favor da liberdade de expressão e religião

Mas discurso de parlamentares pode ser mal interpretado por grupos islâmicos

Portas Abertas • 21 nov 2018


Ore para que os cristãos perseguidos da Malásia desfrutem de liberdade de culto

Ore para que os cristãos perseguidos da Malásia desfrutem de liberdade de culto

A membra do parlamento da Malásia, P Kasthuriraani, recentemente fez um pronunciamento no parlamento estimulando a Malásia a assinar a Declaração sobre Eliminação de Todas as Formas de Intolerância e Discriminação Baseada em Religião ou Crença da ONU, que garantiria verdadeira liberdade religiosa para todos no país. Ela disse que isso inclui a liberdade de mudar de religião e liberdade para, individualmente ou em comunidade, manifestar sua religião ou crença em ensino, prática, culto e observância. Como resultado, o grupo islâmico Isma acusou a parlamentar de ter insultado o islã, incitando muçulmanos a apostatar. Kasthuriraani negou as acusações e exigiu que o grupo se desculpe, mas o caso permanece em aberto.

Com o novo governo no poder, muitos estão esperando se a verdade, justiça e liberdade para todos serão defendidas. O primeiro-ministro do país, Mahathir Mohamad, afirmou que apesar de o governo ser totalmente a favor da liberdade de expressão, isso não deve ser considerado como uma carta branca para causar problemas, principalmente em questões de raça e religião. “Apesar de haver leis suficientes para parar essas tentativas, o que prevalece é como as pessoas respondem a isso”, disse.

Líderes religiosos da Malásia estão percebendo a importância de diálogo inter-religioso. Mês passado, um diálogo com o tema “Papéis das instituições religiosas em unir a juventude multirracial da Malásia” foi realizado com representantes cristãos, siques, hindus e budistas. No encontro, os participantes compartilharam sobre os desafios enfrentados no processo de lidar com questões delicadas ligadas à religião e expressaram o desejo de mais atividades inter-religiosas.

Pedidos de oração

  • Ore para que pastores e líderes cristãos possam ensinar os membros das igrejas a mostrar amor à comunidade, de modo que não vejam o cristianismo como uma ameaça.
  • Interceda pelos líderes do governo, para que tenham equilíbrio entre defender liberdade religiosa e reforçar as leis para evitar problemas.
  • Clame para que o país não pegue o caminho que leva a indesejados conflitos raciais e religiosos.

Leia também
Caso do ativista Amri Che Mat é encerrado na Malásia
Livro de histórias bíblicas impacta jovens mães
Mensagem da esposa do pastor Raymond Koh

Sobre nós

A Portas Abertas é uma organização cristã internacional e interdenominacional, fundada pelo Irmão André, em 1955. Hoje, atua em mais de 60 países apoiando cristãos perseguidos por causa da fé em Jesus.

Facebook
Instagram
YouTube

© 2024 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco