Malásia a favor da liberdade de expressão e religião

Mas discurso de parlamentares pode ser mal interpretado por grupos islâmicos

| 21/11/2018 - 00:00

Ore para que os cristãos perseguidos da Malásia desfrutem de liberdade de culto

Ore para que os cristãos perseguidos da Malásia desfrutem de liberdade de culto


A membra do parlamento da Malásia, P Kasthuriraani, recentemente fez um pronunciamento no parlamento estimulando a Malásia a assinar a Declaração sobre Eliminação de Todas as Formas de Intolerância e Discriminação Baseada em Religião ou Crença da ONU, que garantiria verdadeira liberdade religiosa para todos no país. Ela disse que isso inclui a liberdade de mudar de religião e liberdade para, individualmente ou em comunidade, manifestar sua religião ou crença em ensino, prática, culto e observância. Como resultado, o grupo islâmico Isma acusou a parlamentar de ter insultado o islã, incitando muçulmanos a apostatar. Kasthuriraani negou as acusações e exigiu que o grupo se desculpe, mas o caso permanece em aberto.

Com o novo governo no poder, muitos estão esperando se a verdade, justiça e liberdade para todos serão defendidas. O primeiro-ministro do país, Mahathir Mohamad, afirmou que apesar de o governo ser totalmente a favor da liberdade de expressão, isso não deve ser considerado como uma carta branca para causar problemas, principalmente em questões de raça e religião. “Apesar de haver leis suficientes para parar essas tentativas, o que prevalece é como as pessoas respondem a isso”, disse.

Líderes religiosos da Malásia estão percebendo a importância de diálogo inter-religioso. Mês passado, um diálogo com o tema “Papéis das instituições religiosas em unir a juventude multirracial da Malásia” foi realizado com representantes cristãos, siques, hindus e budistas. No encontro, os participantes compartilharam sobre os desafios enfrentados no processo de lidar com questões delicadas ligadas à religião e expressaram o desejo de mais atividades inter-religiosas.

Pedidos de oração

  • Ore para que pastores e líderes cristãos possam ensinar os membros das igrejas a mostrar amor à comunidade, de modo que não vejam o cristianismo como uma ameaça.
  • Interceda pelos líderes do governo, para que tenham equilíbrio entre defender liberdade religiosa e reforçar as leis para evitar problemas.
  • Clame para que o país não pegue o caminho que leva a indesejados conflitos raciais e religiosos.

Leia também
Caso do ativista Amri Che Mat é encerrado na Malásia
Livro de histórias bíblicas impacta jovens mães
Mensagem da esposa do pastor Raymond Koh


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE