Polícia invade igreja pentecostal na Rússia

| 12/05/2005 - 00:00


O bispo pentecostal Yuri Degtyar disse ao Forum 18 News Service que ele acredita que a investigação criminal feita pelo promotor público de Udmurtia, sobre o comportamento policial durante um ataque, no dia 14 de abril, em sua igreja Trabalho de Fé, será "objetiva". "A resposta do promotor público foi enérgica", o bispo declarou em Izhevsk - capital da república autônoma a 1.130 quilômetros ao leste de Moscou - no dia 21 de abril. "Ele tomou o controle da situação".

No dia 19 de abril o Centro Eslavo de Lei e Justiça, sediado em Moscou, questionou como, antes da investigação começar, o promotor público de Udmurtia, Boris Sarnayev, poderia anunciar à imprensa que "nenhuma ação policial visando humilhar pessoas em locais religiosos foi decretada".

A união pentecostal nacional, encabeçada pelo bispo Sergei Ryakhovsky, noticiou em um relato no dia 15 de abril que vinte policiais à paisana, mascarados, irromperam no território pertencente à sua igreja afiliada, Trabalho de Fé, na noite do dia 14 de abril, arrombando um portão lateral, apesar de os portões principais estarem abertos. Gritando: Rápido! Quebraremos suas pernas!, os oficiais que lideravam a operação (foi dito que um deles estava bêbado e que brandia uma pistola), de acordo com o que reportado, retirou à força as aproximadamente 70 pessoas presentes, incluindo pastores, adoradores e participantes do seminário, que ficaram de frente à parede externa por quase meia hora, enquanto eles e o edifício eram examinados. De acordo com a união, os oficiais disseram ao pastor Mikhail Russkikh que não era necessário qualquer mandado de busca depois das 18 horas, e repetidamente chamava os membros da igreja de "sectários" e "prostitutas", antes de prender 46 dos que estavam presentes em uma única cela na delegacia local por aproximadamente cinco horas.

Sendo interrogados individualmente, continua o relato, todos os detidos deixaram suas digitais e foram fotografados. Alguns foram forçados a assinarem documentos em branco e um deles foi golpeado quando se recusou a responder às perguntas. Nenhuma acusação policial formal foi feita, de acordo com o que foi dito.

No dia 18 de abril a agência de notícias Interfax news informou que um porta-voz do departamento do Ministério de Relações Interiores de Udmurtia (que inclui a força policial) insistiu que a união pentecostal "distorceu" os eventos e afirmou que seu departamento iria abrir um processo contra "algumas organizações e cidadãos" que circulavam informações sobre o incidente na mídia, se ele fosse tido como não-confirmado pela investigação do promotor público.

Questionado no dia 21 de abril sobre como precisamente o relato da união havia distorcido os eventos, um assessor de imprensa do departamento do Ministério de Relações Interiores de Udmurtia dirigiu o Forum 18 a um relato do dia 18 de abril que está no website oficial da autoridades de estado de Udmurtia. Ele sustentava que um promotor público do distrito de Izhevsk havia emitido um mandado para uma busca urgente no terreno da igreja, em ligação com a descoberta de um homem assassinado não longe do edifício, no dia 9 de abril. O relato também afirmava que tanto o homem assassinado como o homem acusado de assassinato, viviam no terreno da igreja desde 2003. O assassino colocou os bens da vítima no terreno da igreja, continua a afirmação, e disse à polícia que algumas pessoas com acusações anteriores viviam ali sem registro. Isso, o relato afirma, foi o que levou a busca no dia 14 de abril e a detenção de 46 pessoas, e foram feitas acusações administrativas contra 22 desses, por não terem registro (cidadãos russos necessitam, pela lei, registrarem-se em qualquer localidade onde eles permaneçam por mais de 90 dias).

O bispo Yuri insistiu no fato de que apenas 12 pessoas presentes no terreno da igreja no dia 14 de abril não tinham registro, e que participavam do projeto de reabilitação de ex-detentos da igreja Trabalho de Fé. "Esses doze são pessoas com um passado difícil e que tentam mudar suas vidas", ele disse ao Forum 18. Essa foi a única violação administrativa, mas ela não requeria policiais mascarados nos assustando - há maneiras civilizadas de realizar buscas". Além disso, ele disse que nenhuma menção da investigação do assassinato foi feita, senão alguns dias depois da busca, e ninguém foi questionado sobre isso durante o inquérito policial. "As questões eram mais assim: Por que você vai a essa igreja e não a uma igreja Ortodoxa?", "Quanto dinheiro você doa à sua igreja?".

Em um enunciado publicado no website do Centro Eslavo de Lei e Justiça no dia 19 de abril, o bispo Yuri também explica que o homem acusado de assassinato foi visto pela última vez no centro de reabilitação da igreja há aproximadamente 18 meses atrás, e a igreja, infelizmente, não sabia que ele estava usando uma falsa identidade ou que era procurado pela polícia em outras partes do país, "senão teríamos nós mesmos o entregado". A vítima de assassinato também não foi vista no centro havia muito tempo, o enunciado sustenta.

A igreja Trabalho de Fé dirige vários projetos sociais, de assistência aos desabrigados, órfãos e famílias de baixa renda, além do trabalho com ex-detentos. Trabalhamos para mudar a sociedade para melhor", disse o bispo Yuri. Queremos que ela seja saudável e forte".

Em uma noite de julho de 2001, Dmitry Mafenko, o então líder do projeto de ajuda a drogados da igreja, foi seqüestrado junto com seu assistente Pavel, e nunca mais foram encontrados. Enquanto admite que os fornecedores locais de drogas se opõe à atividade da igreja, o bispo Yuri acentuou para Forum 18 que não havia ligação entre esse seqüestro e o ataque do dia 14 de abril, o qual ele atribuiu à "arbitrariedade da polícia local. A igreja não havia tido antes qualquer conflito com a policia, ele acrescentou: Oramos pelas autoridades - o incidente foi completamente inesperado, e muitas pessoas continuam chocadas com ele".


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco