Extremistas atacam festividade cristã

| 01/11/2005 - 00:00


Por quase duas semanas, extremistas hindus atacaram cristãos em Banswara, no estado de Rajasthan, resultando no cancelamento dos dois últimos dias do festival de reavivamento.
 
A violência precipitou-se no dia 25, quando tiveram início os encontros da Comunidade do Bem-Estar Cristão, na aldeia de Sagwa. Pelo menos 50 incidentes de agressões foram registrados desde então. No dia 26 de outubro, oficiais do governo ordenaram à Sociedade que cancelassem os últimos três dias que ainda restavam do festival devido à violência.
 
Anualmente a sociedade organiza o festival, conhecido por curas milagrosas, com um público aproximado de 15.000 pessoas. Somente cinco mil puderam comparecer neste ano, uma vez que os cristãos encerraram o festival na manhã do dia 27 com uma oração pelas vítimas dos ataques.
 
Na expectativa do festival, os extremistas hindus do grupo Rahtriya Swayamesevak Sangh (RSS) emitiram uma convocação para os seus membros na mesma região do festival, de acordo com um líder da comunidade.
 
"Membros da RSS foram buscar voluntários de diferentes locais para tentar atrapalhar o evento, pedindo a intervenção das autoridades para que o festival fosse cancelado sob a alegação de proselitismo", disse ele.
 
O superintendente da polícia Senjeev Kumar Jarjari confirmou que ativistas da RSS tinham alegado "conversões forçadas ao cristianismo" solicitando ao governo que o festival fosse interrompido.
 
"A pedido da RSS e seus afiliados, as autoridades governamentais exigiram dos líderes cristãos uma declaração escrita de que não seria realizada nenhuma conversão forçada durante o evento", disse Narjari. "A polícia filmaria todo o evento para se certificar de que as pessoas não eram influenciadas enganosamente de modo que fossem convertidas pelos cristãos".
 
Ruas bloqueadas
 
A RSS e seus afiliados tiveram como alvo os participantes que se dirigiam ao evento, de maneira que esses extremistas se posicionavam em lugares estratégicos do caminho até o festival. Uma vez pegos, os cristãos eram agredidos e enviados de volta.
 
Com isso, somente 3.500 pessoas conseguiram chegar até o local do festival.
 
"A RSS está em todos os lugares, bloqueando as ruas, fazendo protestos e partindo para a agressão física", disse um oficial da comunidade. "Muitas equipes vindas de áreas distantes foram agredidas e forçadas a dar meia volta. Nosso único contato com essas equipes agora é através de telefone, já que a RSS impôs tamanha violência".

Ele ainda acrescentou que a RSS está vistoriando a bagagem de todos os que chegam em Sagwa. Caso Bíblias sejam encontradas pela RSS, os donos são agredidos e mandados de volta.
 
Uma equipe de Dahod, Gujarat, estava a caminho do evento, mas o motorista do ônibus passou a informação para a RSS sobre os passageiros. Os cristãos foram arrastados para fora, agredidos e forçados a voltar para casa.
 
"A polícia está presente em cada local onde nosso povo é humilhado e agredido, mas os policiais nada fazem para impedir a ação desses extremistas", disse o oficial da comunidade. "Mesmo quando recorremos a eles, eles nos ignoram".
 
Quando perguntado sobre a atitude passiva das autoridades, depois de muita hesitação, o superintendente Narjari reconheceu a violência contra os cristãos, mas manteve a posição de que esses não passavam de pequenos incidentes.
 
Depois das agressões, muitos participantes tentaram contatar a delegacia mais próxima, mas foram impedidos. Um membro da diretoria da comunidade disse que não existe muita esperança para essa situação.
 
"Uma vez que a polícia tinha que nos proteger no evento, deram a RSS carta branca para ficar de tocaia no meio do caminho. O objetivo de tudo isso é dificultar a vida dos cristãos de um jeito ou de outro", ele conclui.
 
Freiras atacadas
 
A última onda de violência ocorreu no dia 16 de outubro quando o VHP (Vishwa Hindu Parishad ou Conselho Mundial Hindu) e sua ala jovem, Bajiran Dal, colocaram objeções ao programa da Igreja Católica em Rajasthan para marcar o fim nas celebrações anuais da Eucaristia. Os grupos extremistas disseram que o programa tinha como fim o proselitismo.
 
Os ativistas bloquearam as estradas e bateram nos participantes que estavam a caminho do evento. Joseph Patahlil, bispo católico da diocese Udaipur, teve seu carro apedrejado.
 
No distrito de Banswara, membros da VHP de Kushalgarh agrediram violentamente cinco freiras que estavam num ônibus a caminho de Udaipur.
 
Um jovem hindu da Sangh Parivar, instituição nacionalista, localizou as freiras num ponto de ônibus. Momentos depois, ele voltou com mais doze colegas que carregavam varas de bambu. A essa altura, as freiras já estavam no ônibus, mas os vândalos as arrastaram para fora para agredi-las.
 
A vítima mais seriamente ferida foi uma senhora de 68 anos conhecida como Irmã Rosário. Os agressores fugiram quando os passageiros intervieram.
 
Uma oficial da região de Gayatri Rathore disse que os jovens aparentemente acreditavam que os cristãos estavam realizando eventos para converterem hindus para o cristianismo. "Vários grupos cristãos têm registrado por escrito que as conversões não fazem parte de seu programa", acrescentou ela.
 
O distrito de Banswara em Rajasthan tem se tornado um local turbulento para os cristãos. Em abril de 1997, o secretário geral da VHP Giriraj Kishore ameaçou acabar com a liberdade dos cristãos em três anos, de acordo com o jornal "Asian Age". Em outros incidentes, cristãos foram forçados a se curvarem em adoração a ídolos hindus.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE