Suspeitos de decapitar adolescentes são libertados

| 22/11/2005 - 00:00


Cinco suspeitos de envolvimento na decapitação de três adolescentes foram libertados pelas autoridades indonésias.
 
Os suspeitos saíram da unidade militar onde estavam e soube-se que três deles foram recapturados.

A ICC tem acompanhado essa situação e teme que as autoridades indonésias usem uma prática comum ao lidar com violência contra cristãos. Isto é, se há um ataque particularmente violento, ou se há um grande clamor público, então se anunciam as prisões e a imprensa se cala. Mas logo em seguida os suspeitos são soltos por um motivo ou outro.

No último episódio, Tony Mowala Alias Rinto, 51 anos (ex-militar), Irfan Anjiro, 23 anos (segurança), Jamiluddin, 25 anos (segurança), Ridwan Masero, 25 anos (fazendeiro) e Saleman Yunus, 28 anos (motoboy) foram libertados da detenção sem acusações.

Os suspeitos ficaram detidos por sete dias pelo 714º Batalhão do Exército. O Exército não permitiu que as unidades da polícia tivessem acesso aos suspeitos. Mesmo que tivessem, é duvidoso que isso tivesse acontecido. Nunca houve prisões nos 40 incidentes mais violentos contra cristãos na região de Poso nos últimos dois anos. Eles incluem facadas, tiros, assassinato de pastores em seus púlpitos e explosões.

Usman Hamid, coordenador da Comissão Nacional de Desaparecidos e Vítimas de Violência (Kontras) disse: "Creio que não existe processo legal contra os cinco. Vejo também que os militares estavam decididos a tirar proveito das brechas legais".

As notícias são imprecisas, e há informações de que três dos suspeitos foram recapturados devido a evidências de DNA que os ligam à cena do crime.

Texto enviado por Daila Fanny.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE