Pastor é barrado no aeroporto por “razões de segurança”

| 06/01/2006 - 00:00


Um pastor vietnamita que passou dez anos na prisão e em campos de reeducação antes de ser deportado para os EUA, no Natal de 1999, foi barrado no aeroporto de Son-Nhat, cidade de Ho Chi Minh, em 27 de dezembro, ao tentar entrar no país para visitar sua mãe.

O reverendo Paul Ai, fundador do Alcance Vietnamita Internacional, contou para Assist News que ele e sua esposa Rute foram maltratados no aeroporto, quando tentavam entrar no país.

"Eles me mantiveram lá por 24 horas e depois me deportaram", contou Paul. Ele também falou que, quando foi barrado, o descreveram como um "homem perigoso" e, segundo ele, tiveram medo de que Paul entrasse em contato com a igreja clandestina.

Paul Ai disse que ele e sua esposa Rute foram para o Vietnã no dia 27 de dezembro para visitar sua mãe, de 76 anos, e sua sogra, que tem 87 anos e está bastante doente.

Paul disse que quando chegou ao Aeroporto Tan-Son-Nhat Airport, em Ho Chi Minh, a polícia havia recebido ordens de não o deixar entrar no país. "Eles não me explicaram porque eu não podia entrar, mas escreveram em meus documentos que a minha entrada foi negada por razões de segurança.".

Paul foi repetidamente questionado sobre o motivo de sua volta ao Vietnã e a reposta foi que ele queria visitar sua família. "Eles queriam saber o que eu fazia e eu disse que era pastor e professor. Eles também perguntaram por que eu visitava tantos países asiáticos e eu disse que como pastor, eu viajo para compartilhar as Boas Novas com as pessoas e para discipulá-las", contou o reverendo.
 
Paul contou ainda que chegou a perguntar por que ele não podia entrar no Vietnã. Todos lhe diziam que o computador informava "razões de segurança". Paul disse ter questionado as autoridades: "De que tipo de segurança vocês estão falando? Eu sou algum terrorista ou um criminoso?" Ele prossegue: "Eles não souberam me responder, ouvi um deles dizer para outro: Esse é um homem perigoso, que influencia muitos jovens. Ele plantou muitas igrejas no país.".

Depois de 24 horas na zona de segurança e guardado pela polícia, Paul foi deportado e está em Cingapura. Sua esposa e sua filha obtiveram permissão para entrar no país para visitar a família e a Igreja. Ele voltará para a Malásia para fazer um treinamento de discipulado.

Antes de sua primeira deportação do Vietnã, o pastor Paul plantou centenas de congregações - todas elas igrejas domésticas. Ele também trabalhou na Coréia, Malásia e Camboja.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE