Parte da população indonésia aprova violência religiosa

| 28/07/2006 - 00:00


Uma pesquisa feita no país indica que mais de 40% da população indonésia está pronta para usar de violência contra os que são vistos como uma ameaça ao islã.

O resultado da pesquisa do Centro para Estudos Sociais e Islâmicos, ou PPIM, demonstrou que 0,1% dos pesquisados admitiram participar de ataques a igrejas cristãs que funcionam sem licença oficial, enquanto 1,3% tinham usado de "intimidação" contra aqueles que eles acreditam ter blasfemado contra o islã.

"A porcentagem parece muito pequena, mas é bastante elevada se levarmos em consideração que 85% - ou 200 milhões em um país de 230 milhões de habitantes - são muçulmanos", declarou ao "The Jakarta Post" o pesquisador do PPIM, Jajat Burhanudin.

O estudo entrevistou 1.200 pessoas em 30 das 33 províncias indonésias, e foi realizado entre 2001 e 2006.

Facilitando o terrorismo

De acordo com os resultados, 43,5% estão prontos para começar uma guerra contra a ameaça não-muçulmana, 40% usariam de violência contra os blasfemos; enquanto 14,7% disseram que destruiriam igrejas que não possuem licença.

"Isso tem ajudado os terroristas a recrutar facilmente novos militantes e torna o país um solo fértil para o radicalismo sectário", afirmou Jajat Burhanudin.

Ele disse que um estudo sobre as razões para tais atitudes concluiu que os ensinos islâmicos e a islamização contribuíram significativamente com a violência doméstica e pública na Indonésia, algo que outros estudiosos negam.

"Quanto mais os muçulmanos apoiarem certos ensinos islâmicos que legitimam o uso da violência, mais violência haverá", afirmou.

Jajat Burhanudin disse que entre 30% e 59% dos pesquisados aprovaram a amputação das mãos como pena para roubo, morte por apedrejamento para estupradores e outras punições características da tradicional lei islâmica.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE