Novo convertido é preso e pressionado a acusar pastor

| 27/10/2006 - 00:00


Na manhã de 26 de outubro, a polícia prendeu um recém-convertido em Mayapuri, em Madhya Pradesh, pela segunda vez em três dias, em uma aparente tentativa de pressioná-lo a dar evidências de que o pastor o forçou a se converter. À noite, o novo convertido foi acusado de "insultar crenças religiosas".

A polícia de Dewas Gate deteve outra vez Ramesh Thakur, 37, às 9 da manhã, depois de tê-lo prendido no dia 24 e libertado no dia seguinte, após um intenso interrogatório. Jagdish Bharti, pastor da igreja que Ramesh freqüenta, tinha sido preso em junho passado, acusado de "insultar crenças religiosas" e ainda está lutando com essas acusações. A próxima audiência será em 30 de outubro.

R. R. Malvi, o policial encarregado da delegacia de Dewas Gate, disse ao Compass que Ramesh pode continuar a ser detido enquanto as investigações estiverem em andamento. Quando ele, o pastor Jagdish e outros foram detidos no dia 4 de junho, Ramesh foi solto no mesmo dia sob fiança, depois de quatro horas de interrogatório, sem ter sido acusado.

Os cultos dominicais da igreja acontecem na casa de Ramesh.

Intimidação

"Na terça-feira, a polícia invadiu a casa de Ramesh e ordenou que ele apresentasse todos os documentos da casa", contou o pastor Jagdish, da Comunidade Bethel. "Entretanto, como ele não tinha nenhum documento em mãos, eles o levaram para a delegacia. Lá, ele foi ameaçado de enfrentar graves conseqüências se estivesse me protegendo."

O pastor acrescentou que os policiais questionaram, de maneira intimidatória, se Ramesh recebeu a casa como prêmio por se tornar cristão.

Embora Ramesh ainda não seja batizado, ele recebeu recebeu Jesus como salvador há seis meses e tem se reunido para orar e adorar a Deus com a Comunidade Bethel desde então. Jagdish contou ao Compass que, desde a prisão deles em 4 de junho, o grupo extremista hindu RSS e sua facção jovem, o Bajrang Dal, têm insultado e ameaçado os dois cristãos.

Pressão política

Dilip Akodiya, da Comunidade Bethel, disse que o delegado Malvi afirmou estar sofrendo intensa pressão política para acusar Ramesh Thakur.

Viju Varghese, coordenador estadual do Conselho Global dos Cristãos da Índia, informou que o RSS ofereceu 25 mil rúpias (552 dólares) para envolver o pastor Jagdish em uma acusação de "iludir" para converter.

Indira Iyengar, ex-membro da Comissão de Minorias de Madhya Pradesh, disse que "a perturbação aos cristãos apenas varia num círculo vicioso. O pastor Jagdish e Ramesh são continuamente importunados, tanto pela polícia como pelo Bajrang Dal".

O pastor Jagdish e outros 15 cristãos foram presos em 4 de junho, depois que uma multidão de extremistas hindus invadiu um culto doméstico em Mayapuri e os arrastou até um templo próximo para forçá-los a se ajoelhar diante de outros deuses (leia mais).

O pastor foi acusado de insultar crenças religiosas, "com intenção deliberada e maliciosa de ferir" sentimentos religiosos.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE