Cristãos viram alvo de seqüestros

| 15/01/2007 - 00:00


De 10 a 19 de janeiro, publicaremos em nosso site um resumo das notícias que marcaram 2006. Serão 10 dias, cada um com o foco em um país diferente.

Os líderes cristãos têm sido cada vez mais atacados por militantes muçulmanos no Iraque, que encontraram no seqüestro um negócio lucrativo.

Muçulmanos extremistas no Iraque assassinaram um presbítero de uma igreja em Mosul. Ele havia sido seqüestrado depois de um culto na Igreja Presbiteriana Evangélica Nacional de Mosul em 26 de novembro. O corpo do cristão, identificado como Munthir, de 69 anos, foi encontrado em uma rua de Mosul em 30 de novembro, com uma bala na cabeça. Os raptores disseram por telefone que iriam "matar todos os cristãos, a começar por ele".

Em outubro, extremistas raptaram e decapitaram um bispo ortodoxo sírio, deixando seu corpo no subúrbio de Mosul. O padre Boulos Iskander, 59 anos, foi raptado em 9 de outubro. Seus raptores exigiram 350 mil dólares de resgate, mas reduziram o valor para 40 mil dólares com a condição de que a igreja do bispo repudiasse publicamente as citações do Papa Bento 16 sobre o islamismo, feitas em setembro. A família pagou o resgate e a paróquia de São Ephram colocou 30 grandes placas nas paredes da cidade, afastando-se dos comentários do pontífice - tudo em vão.
 
Um bispo caldeu seqüestrado em frente a sua casa em Bagdá foi libertado em 10 de dezembro. O bispo Samy Abdulahad Al-Raiys foi libertado seis dias depois de ser raptado em na rua al-Sinaa enquanto dirigia para sua paróquia. Ele foi o quinto clérigo seqüestrado em 2006. Um bispo de Bagdá, sob anonimato, comentou: "Muitos de nós estão assustados. Nós nos perguntamos: Quem será o próximo?.". O desaparecimento de Samy aconteceu cinco dias depois do clérigo caldeu Douglas Yousef Al-Bazy ter sido libertado em 29 de novembro, com seu nariz quebrado, necessitando passar por cirurgia.

As jovens cristãs iraquianas também se tornaram alvos de insurgentes da indústria do seqüestro. Uma garota estuprada por uma gangue tirou sua própria vida no cativeiro, e outra estava tão traumatizada com a tortura e a violência que sofreu que se suicidou mesmo depois de seu resgate ter sido pago e ela ter voltado para casa.

Leia as retrospectivas anteriores:
IRÃ (3º) - Onda silenciosa de perseguição
ERITRÉIA (14º) - Em 2006, Eritréia fecha o cerco
MUNDO MUÇULMANO - Represálias no Mundo Muçulmano
ÍNDIA (26º) - Campanha hindu contra missão no Estado de Rajasthan
INDONÉSIA (36º) - Terrorista confessa decapitações


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE