Cristãos de Rajasthan enfrentam violência crescente

| 09/05/2007 - 00:00


Cada vez mais os cristãos são vítimas de violência. Apesar disso, as forças policiais nem sempre agem no sentido de protegê-los. O último incidente aconteceu no domingo, quando o reverendo Than Singh John, pastor da Igreja dos Fiéis da Índia, sua esposa Rute e seus dois filhos foram ameaçados por um grupo de fundamentalistas.

Depois de registrar uma queixa na delegacia de Kanota, distrito de Jaipur, o pastor e sua família foram para a casa alugada em que moram, em Paldi Meena, subúrbio de Jaipur. Lá, dois jovens mascarados em uma motocicleta disseram-lhes para deixar o local.

Quatro pessoas já haviam ameaçado o pastor Singh John em fevereiro do ano passado, em frente à sua casa. Mesmo tendo procurado a delegacia de Kanota, sua queixa não foi registrada.

"É evidente que os cristãos de Rajasthan não podem praticar sua religião livremente. O tempo de ataques é sinistro. Os fundamentalistas estão escolhendo o domingo, o dia de culto para os cristãos, para atacar, e isso é preocupante", disse Kavita Srivastava, secretário geral da União Popular para Liberdades Civis de Rajasthan. "Os ataques aos cristãos de Jaipur demonstram claramente o quanto os fundamentalistas se tornaram ousados. Isso indica a possibilidade de que eles ajam em conluio com a administração no Estado", acrescentou ele.

Um grupo de ativistas de direitos humanos, advogados e representantes do Conselho Cristão de Toda a Índia foram a Jaipur para investigar outro incidente, também envolvendo um clérigo, o pastor Walter Massey, que foi atacado em 29 de abril (leia mais).

O grupo visitou a cidade no dia 3 de maio, onde se encontrou com o diretor geral da polícia estadual, A. S. Gill, que admitiu que o número de relatos de ataques contra cristãos está aumentando.

"Distritos tribais em Jaipur, Udaipu e Ajmer têm registrado recordes de episódios de violência contra os cristãos. Muitos dos incidentes foram encobertos, mesmo com a consciência da polícia de que aumenta o ódio contra os cristãos", afirmou o grupo.

"A violência anticristã visa a uma minoria. E pode haver mais violência já que o projeto de lei de Liberdade Religiosa de Rajasthan de 2006 se tornou lei", disse John Dayal, presidente da União Católica da Índia.

Por sua vez, Abraham Mathai, presidente da Comissão de Minorias de Maharashtra, condenou a atuação da comissão em Rajasthan, por deixar de proteger a população minoritária cristã.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE