Pastor nigeriano é absolvido da acusação de seqüestro

| 28/05/2007 - 00:00


No dia 10 de abril, a suprema corte anulou o julgamento da corte local de Malumfashi, que tinha sentenciado o pastor Gambo Boka, 39, a três anos de prisão por ter supostamente seqüestrado Lois Garba, de 20 anos (leia mais). A jovem fugiu da casa de seus pais um dia antes do casamento forçado com um parente muçulmano.

O apelo foi feito à suprema corte dentro do prazo de 30 dias da prisão do pastor. No anseio de ajudar, o conselho distrital da igreja de Katsina fez o que pôde para levantar fundos para a apelação do pastor Gambo. Os cristãos locais também se comprometeram a orar pela intervenção de Deus após terem recebido a notícia da sentença do pastor.

O juiz da suprema corte absolveu o pastor Gambo, uma vez que o pai de Lois e os outros acusadores muçulmanos não conseguiram apresentar evidências concretas para as acusações contra ele. O juiz acrescentou que uma mulher tem o direito de escolher com quem quer se casar.

O ex-chefe de justiça do Estado de Katsina (norte do país), que também é um conhecido líder muçulmano, teria influenciado a sentença inicial. Ele supostamente defendeu que o pastor Gambo fosse sentenciado a 10 anos de prisão. O caso desse pastor ilustra a luta dos muçulmanos contra os cristãos de Katsina, um dos 12 Estados do norte da Nigéria governados pela sharia (lei islâmica).

Orações respondidas

"Os líderes distritais da igreja e o pastor Gambo deixaram a corte com o coração alegre, louvando a Deus pela divina intervenção. A esposa do pastor, Rakiya Gambo, e seus três filhos não conseguiram conter as lágrimas de emoção quando o pastor Gambo chegou. A casa se encheu de canções de louvor e os que assistiam foram fortalecidos em sua fé", contou Isaque (pseudônimo), representante da Portas Abertas.

"Fiquei desanimado quando descobri que todos os juízes da audiência do apelo do pastor
Gambo eram muçulmanos. Duvidei que algo bom acontecesse, mas quando eles libertaram o pastor eu quase desmaiei de alegria dentro da corte. Acredito firmemente que nossas orações foram respondidas. Minha fé foi fortalecida e acreditei ainda mais que as promessas de Deus são maravilhosas", declarou o reverendo Danjuma Kalladi, logo após a libertação do pastor Gambo.

"Se Deus quer que você seja livre, nada pode impedi-lo. Ele pode usar até os ataques do inimigo para levar alegria aos corações dos que o amam", afirmou Ibrahim Tambai.

"Esse Deus é um Deus de maravilhas! Aprendi a confiar nele, mesmo quando me sinto esquecido", compartilhou Ramu Bala.

"Podemos nos sentir inúteis e esquecidos, mas Deus nunca esquece seu povo", disse Balarabe Ali.

"Deus tem as leis em suas mãos e Ele as modifica conforme seu desejo", disse o reverendo Yahaya Kube.

Os cristãos dizem que somente pela graça de Deus um cristão pode ganhar um caso contra um muçulmano no norte da Nigéria. Muitos juízes são conhecidos por serem muçulmanos que se esforçam por defender os interesses do islã, abusando de sua autoridade.

Fé fortalecida

Uma multidão de muçulmanos estava reunida do lado de fora da corte no dia em que a sentença inicial do pastor Gambo foi proferida e houve brados celebrando a vitória sobre ele e os cristãos. No dia 10 de abril, clérigos islâmicos, membros do comitê de propagação do islamismo e outros extremistas foram vistos do lado de fora da corte. Eles estavam confiantes de que o pastor Gambo receberia o mesmo julgamento, pois os juízes também eram muçulmanos.

Ainda que a multidão de muçulmanos não tenha intimidado o juiz, o pastor Gambo ou os cinco líderes cristãos presentes na audiência, a absolvição foi um grande choque para a comunidade muçulmana.

A família do pastor Gambo foi assistida pelos cristãos locais, que levaram donativos, comida, roupas e uma pequena quantia em dinheiro para cobrir as necessidades básicas das crianças. A Portas Abertas também visitou Rakiya e as crianças para encorajá-las com as promessas bíblicas de Deus. De volta ao convívio com a família depois de muitos dias atrás das grades, o pastor Gambo testemunhou que a detenção aumentou sua coragem para falar de Cristo aos que não foram alcançados pelo evangelho.

Lois, ainda escondida, que estava preocupada com a situação do pastor Gambo, ficou mais encorajada ao saber que ele foi absolvido.

Com ajuda de pessoas não identificadas, Lois Garba fugiu da casa de seus parentes em 19 de fevereiro de 2006, um dia antes de ser obrigada a se casar com um muçulmano (leia mais). Embora seu pai se dissesse cristão, ele deu Lois em casamento a um parente muçulmano no ano passado. Como cristã, ela não queria se casar com um muçulmano, mas seu pai deu continuidade à cerimônia islâmica de casamento mesmo na sua ausência e agora ela é considerada uma mulher muçulmana casada.

Pedidos de oração: 

  • Louve a Deus por ter suprido as necessidades básicas de Rakiya Gambo e seus filhos usando a comunidade cristã local. 
  • Ore para que Deus continue a proteger a família. Esse caso chamou a atenção de muitos grupos muçulmanos e teme-se que o pastor Gambo possa sofrer ataques em função do apelo bem-sucedido. 
  • Ore para que Lois permaneça firme e continue a confiar que o Senhor dará um final feliz ao seu caso.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE