Cristãos temem retaliação por atitude da rainha Elizabeth

| 22/06/2007 - 00:00


A decisão da rainha Elizabeth II de condecorar o escritor anglo-indiano Salman Rushdie, autor da obra Versos satânicos, com o título de Sir (cavaleiro), no último sábado, está causando protestos em todo o mundo islâmico.

Os cristãos, principalmente os protestantes, temem que a controvérsia cause um levante de extremistas religiosos contra eles.

Ontem, o Parlamento e o Governo do Egito condenaram a condecoração britânica e qualificaram a homenagem como mais grave do que as caricaturas do profeta Maomé.

O Parlamento do Paquistão aprovou uma moção que define o escritor como blasfemo. O ministro de Assuntos Religiosos, Mohammed Ijaz ul-Haq, chegou a afirmar que o título era uma justificativa para atentados suicidas.

Ameaças

Segundo o diretor da Comissão Nacional Inter-Religiosa do Paquistão, Aftab James Paul, a vingança contra os cristãos do Paquistão pode acontecer a exemplo do que ocorreu na época da divulgação das caricaturas.

Muçulmanos de várias cidades paquistanesas e malaias queimaram bandeiras britânicas e imagens de Rushdie e da rainha Elizabeth II, gritando: Matem-nos!

No domingo, o Irã acusou a Inglaterra de insultar valores islâmicos e afirmou que Rushdie é uma das figuras mais odiadas do mundo muçulmano.

Seguidores do Partido Pan-islâmico da Malásia (PAS, em inglês) protestaram em frente à embaixada do Reino Unido no país e pediram ao Governo britânico que retire o recém-concedido título de Sir ao escritor, sob ameaça de represálias.

O polêmico escritor

O título de Sir foi concedido a Salman Rushdie durante a cerimônia de comemoração do aniversário de 81 anos da rainha Elizabeth II por suas contribuições à literatura.

Para os muçulmanos, o livro de Salman Rushdie é uma ofensa ao islã. Em 1989, o aiatolá iraniano, Khomeini, emitiu uma fatwa (decreto religioso) condenando-o à morte.

O escritor teve de viver escondido durante nove anos. Em sua obra Versos satânicos, o autor insinua que Maomé estava sob a influência de haxixe quando criou o islamismo. A visão do anjo Gabriel não teria passado de uma alucinação.

Por causa da polêmica, a ministra britânica das Relações Exteriores, Margaret Beckett, fez uma declaração em que lamenta a ofensa causada pela concessão do título de sir ao escritor Salman Rushdie.

(Com agências internacionais)


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE