Líder batista é transferido para campo no deserto

Vyacheslav Kalataevsky, líder batista que foi condenado a três anos de prisão em uma penitenciária agrícola, foi transferido em segredo para um campo de trabalhos forçados em Seydi, a 1200 quilômetros de distância de sua família. Guardas armados impediram que os familiares se encontrassem com ele para se despedir.

“As condições no campo de Seydi são duríssimas, ele foi enviado para o deserto, perto de bases de empresas químicas”, disse um familiar. “É uma situação semelhante à Idade Média”, completou.

A casa onde sua família morava, na cidade portuária de Turkmebashi, foi demolida e agora algumas pessoas tentam retirar a esposa de Vyacheslav e seus cinco filhos do local onde vivem. Ore por eles.

Outro batista, Yevgeny Polotov, está preso há seis semanas. Agentes do serviço secreto indicaram que ele poderá ser deportado por suas atividades religiosas. Em 2001, a casa dele foi completamente destruída numa tentativa de intimidá-lo.

Enquanto isso, Merdan Shirmedov, o marido da cidadã norte-americana Wendy Lucas, que deixou o país grávida e teve o bebê nos Estados Unidos, teve negada a permissão para viajar e conhecer o seu filho por ser cristão.

Leia a íntegra da notícia, em inglês, no Fórum 18