Cristãos multados por recolher ofertas e dízimos

Autoridades administrativas de Istambul ordenaram a dois cristãos - que já respondem a um estranho processo criminal “por insulto à identidade turca”, baseado no artigo 301 - que eles paguem uma multa pelo “ recolhimento ilegal de fundos” na igreja.

Hakan Tastan e Turan Topal foram chamados a comparecer ao posto policial de Istambul na manhã de domingo, dia 1º de julho, um pouco antes do início do culto na igreja protestante de Taksim. Lá receberam o aviso de que terão de pagar US$ 461 (R$ 900,00) cada, pela violação de uma lei civil.

Os dois ex-muçulmanos foram acusados de coletar dinheiro sem a permissão das autoridades. “Isso é ridículo”, disse o advogado Haydar Polat, ao Compass. “Não tem nada a ver com o caso original contra os meus clientes”, afirmou.

"Cada mesquita na Turquia tem uma caixa de oferta para receber as doações dos fiéis", comentou Turan. "Por que nós, cidadãos cristãos, não temos o mesmo direito?"

“Isso é só mais perturbação”, disse ele ao Compass. Os dois cristãos foram filmados secretamente por guardas armados no ano passado, conversando com cristãos e pregando na igreja.

Em uma audiência prévia, em janeiro, o ultranacionalista Kemal Kerincsiz, notório na Turquia por ter perseguido o jornalista Hrant Dink com múltiplas acusações sob o artigo 301 (e que depois acabou assassinado), incorporou ao processo de insulto a acusação contra a igreja de Hakan por quebrar a lei ao recolher ofertas e o dízimo da congregação.