Pastor Gambo Boka agradece apoio dos irmãos

| 13/08/2007 - 00:00


“Obrigado por tudo. Deus esteja com você. Nós louvamos o Senhor Jesus por sua fidelidade.”

Essas foram as palavras do pastor Gambo Boka a um colaborador da Portas Abertas, ao agradecer as cartas recebidas, as visitas e orações enquanto esteve preso.

O pastor teve que fazer uma longa viagem para poder se encontrar com a equipe da Portas Abertas. Mas seu semblante suave logo demonstrou a satisfação com o amor de Deus que foi manifesto através dos parceiros da missão.

Ele ficou impressionado com a quantidade de cartas que recebeu do Corpo de Cristo.

O pastor Gambo disse que os dois meses em que esteve na prisão foram muito difíceis para ele e a família. No momento de sua detenção, ele teve que deixar a esposa grávida e as três filhas jovens chorando em casa.

Ele é agora um pai orgulhoso de quatro filhas, a mais velha já está na escola primária. A família o visitava na prisão sempre que podia.

Enquanto esteve na prisão, o pastor Gambo tirou inspiração especial e forças na história de José. José foi para a prisão, mas quando saiu, Deus foi glorificado. Entenda o caso.

União do Corpo e a glorificação de Cristo 

A Portas Abertas acredita que Deus teve um propósito com a prisão e que a igreja que se levantou durante o julgamento do pastor Gambo foi verdadeiramente glorificada.

Na época, o Conselho da Igreja do Estado de Katsina fez de tudo para levantar fundos para a defesa do pastor. 

Cristãos locais também foram convocados para orar pela intervenção do Deus depois de receberem notícias inquietantes do primeiro julgamento do pastor Gambo, quando ele foi condenado a três anos de prisão.

A família do pastor  foi apoiada por cristãos que levaram comida, presentes para o bebê, roupas e uma quantia pequena de dinheiro para cobrir as necessidades básicas das crianças.

Portas Abertas

Além de visitar o pastor Gambo na prisão, a Portas Abertas também visitou a esposa dele, Rakiya, e as crianças para os encorajá-los com as promessas de Deus.

Enquanto ele estava na prisão, Gambo pediu uma Bíblia que ele usou para falar de Jesus aos muçulmanos. Ele enfrentou muitas perguntas sobre os motivos de sua prisão. Ao contar o caso, ele teve a oportunidade de compartilhar o Evangelho.

No dia 10 de abril, a Suprema Corte cancelou o julgamento do tribunal local de Malumfashi, no Estado de Katsina, que havia condenado o pastor Gambo Boka, de 39 anos, a três anos de prisão. Ele foi acusado de seqüestrar Louis Garba, de 20 anos, uma moça cristã que fugiu de seus pais para não se casar com um parente muçulmano. 

Por isso o pastor Gambo agradece a todos os que oraram, enviaram cartas e contribuíram financeiramente com o sustento de sua família em tempos de tribulações:

"Deus seja louvado!"


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE