Talibãs estão soltando os reféns sul-coreanos em pequenos grupos

Depois de um acordo selado ontem entre diplomatas da Coréia do Sul e a milícia Talibã, 12 dos 19 missionários sul-coreanos mantidos reféns desde 19 de julho já foram soltos até o momento e entregues à Cruz vermelha.
As primeiras três reféns libertadas hoje chegaram até a cidade de Qala-e-Kazi em um único carro, com as cabeças cobertas (assista ao vídeo).

Os reféns estão sendo soltos em pequenos grupos. Nenhum deles falou com a imprensa no momento da libertação.

Na terça-feira os rebeldes selaram um acordo com as autoridades da Coréia do Sul pelo qual se comprometiam a libertar os reféns, todos eles protestantes, em troca de que o país acelere a retirada de seu pessoal civil e militar no Afeganistão e contenha o envio de missionários.

Parentes dos reféns expressaram alívio com o anúncio da libertação. "Eu conversei com meus pais e eles choraram quando souberam que minha irmã foi solta", disse Lee Jung-hoon, irmão de uma das libertadas. "Espero que os outros sejam soltos hoje”, completou.

Dois reféns foram executados poucos dias após a captura, depois que o Governo afegão rejeitou a exigência dos seqüestradores de libertar vários presos insurgentes.

Em meados de agosto, os talibãs iniciaram negociações diretas com uma delegação de Seul, e pouco depois libertaram duas sul-coreanas que estavam doentes.

A milícia Talibã é um movimento radical islâmico que dominava 90% do Afeganistão até 2001, quando foi derrubado por uma coalizão liderada pelos Estados Unidos.

(Texto acrescido de informações das agências Efe, BBC e Yonhap)