Irmão de pastor é assassinado por extremistas

| 12/09/2007 - 00:00


Uma série de ataques ao pastor da casta dalit, Paul Chinnaswamy, em Tamil Nadu, acabaram no assassinato do seu irmão em julho. O Pastor Paul, de 51 anos, também teve sua casa depredada e foi preso junto com seu filho, ambos acusados de “conversão forçada”.

Depois dos extremistas hindus atacarem duas vezes em abril e maio, o pior incidente ocorreu no dia 29 de julho. Dois prévios agressores do pastor Paul chegaram em motocicletas à casa de Amós, irmão mais velho do pastor e também ex-hindu.

Amós teria gritado com os dois visitantes quando eles atacaram um líder da igreja no começo do ano, relatou Dr. Sajan George, presidente nacional do Conselho Global de Cristãos Indianos (GCIC, sigla em inglês) .

“Os dois destruíram uma cabana que estava na frente da casa de Amós e, com uma tora, bateram na cabeça e nas costas dele. Quando ele caiu, eles esmagaram a cabeça dele com grandes pedras.

Depois ameaçaram a esposa e sogra de Amós, dizendo que ambas morreriam se não tacassem pedras no corpo dele”, relator Sajan ao Compass.

Sentindo não ter opção, as duas obedeceram gritando de remorso e desespero. Depois os agressores foram embora.

A acusação

Segundo Sajan George, Amós foi morto por causa de suas palavras iradas a respeito dos ataques dirigidos a seu irmão Paul.

As duas mulheres correram para a delegacia, e a população local foi para a cena do crime. A polícia prendeu ambas acusando-as do assassinato.

O inspetor R. Vajram disse ao Compass: “Amós tinha 58 anos e a mulher dele cerca de 30 anos – havia tensões entre o casal. Além disso, Amós bebia e aborrecia sua esposa. É por isso que elas o mataram”.

No dia 18 de agosto, Dr. Sajan George escreveu uma carta para a Comissão Nacional de Direitos Humanos pedindo justiça para o caso. No documento, ele afirma que a polícia local não investigou o incidente direito.

Pastor e filho presos

De acordo com Sajan, no dia 18 de julho a polícia intimou o pastor Paul a comparecer à delegacia. Os policiais pediram-no que esperasse dentro de uma cela e posteriormente a prisão do pastor foi decretada sob a acusação de “conversões forçadas”.

No mesmo dia, o filho de Paul, Luka Perumal, foi preso e colocado em uma cela separada.

Quando os cristãos locais souberam da prisão, contataram a líderes do Partido Comunista, que garantiram a liberdade do pastor no dia 20 de julho. Na Índia, comunistas frequentemente se aliam a cristãos na luta contra o nacionalismo hindu.

No dia em que Paul foi solto, seu filho foi transferido pra uma outra prisão em Salem. O pastor perguntou à polícia sobre a localização exata de seu filho. As autoridades disseram que ele deveria ser solto no dia 3 de agosto, o que ainda não aconteceu.

Série de ataques ao pastor Paul

Dois dias antes de a polícia deter Luka Perumal, extremistas hindus vandalizaram sua casa no vilarejo de Kelamangalam. Esses ataques se seguiram a uma série de outros incidentes ocorridos no início desse ano. Em 5 de maio, oito homens invadiram a casa do pastor Paul e o atacaram com uma furadeira, insultando sua esposa e ameaçando a filha do casal de apenas quatro anos.

Os agressores também roubaram 2.750 rúpias (cerca de R$ 135) alegando que aquele dinheiro havia sido dado ao pastor para que esse convertesse hindus à força. Na verdade, o pastor tinha separado o dinheiro para pagar sua conta de luz.

No dia 22 de abril, outro ataque foi dirigido ao pastor Paul. Nele, os extremistas depredaram a cozinha de sua casa. “Paul não registrou a ocorrência nenhuma vez por medo de ser assassinado se o fizesse”, relatou Sajan George.

A respeito do crescente número de ataques a membros da casta dalit, incluindo cristãos, o presidente do Conselho Cristão Para Toda a Índia (AICC, sigla em inglês), John Dayal, disse:

“A mensagem de Cristo liberta castas inteiras que estavam a serviço das castas superiores”. Ele também afirmou que o pastor Paul e todos os católicos e protestantes indianos são atacados por crerem que os dalits são iguais, o que “...desestabiliza os hindus. É por isso que até hindus liberais não aprovam as conversões”.

Nota: Casta, no sistema de estratificação tradicional da Índia é um grupo social fechado, determinado pelo caráter hereditário.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE